ALMOÇO TEMÁTICO

O Almoço Temático é um convite para seguirmos nas discussões! O dia é curto para tantos temas e iniciativas incríveis!
Por isso, convidamos os anfitriões abaixo para estarem conosco no evento e conduzirem as conversas sobre as temáticas relacionadas à colaboração.

Esta sessão tem o apoio do:

 

  1. Colaboração: como amplificar o benefício socioambiental

    Anfitriã: Márcia Groszmann, líder de investimentos para Instituições Financeiras do BID Invest

    Ao longo de mais de 60 anos, o BID tem apoiado projetos estruturantes no Brasil, na América Latina e no Caribe. O modelo soma recursos próprios e aportes de fundos internacionais e outros doadores, que podem ser empregados em distintos arranjos, com diversos focos, amplificando o alcance das iniciativas. Venha conversar sobre o papel da colaboração neste processo.

  2. Catalyst 2030: collaborating to achieve the SDGs (EN)

    Anfitriões: Matthew Bishop, co-fundador do Catalyst 2030, e Raphael Mayer, co-fundador e gestor da Simbiose Social
    Temos oito anos para o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, mas as metas propostas parecem distantes. Como acelerar as mudanças que o mundo precisa? Venha refletir com um dos fundadores e com o líder do capítulo brasileiro do Catalyst 2030, o movimento global que promove a colaboração entre empreendedores sociais para acelerar a implantação dos 17 ODSs. (O idioma desta mesa será em inglês)

  3. Equidade Racial: comprometimento coletivo

    Anfitrião: Guibson Torres, gerente executivo do Pacto de Promoção da Equidade Racial

    No Brasil, investimento em equidade racial é essencial para enfrentar a reprodução do racismo estrutural no país. O Pacto de Promoção da Equidade Racial visa implementar um Protocolo ESG Racial para o Brasil, trazendo a questão racial para o centro do debate. Empresas, poder público e sociedade civil são parte dessa equação. Venha conhecer mais sobre o Pacto e seus desafios.

  4. Filantropia Familiar: modelos e estratégias

    Anfitrião: Marcia Woods, assessora da Fundação José Luiz Egydio Setúbal 
    A organização filantrópica familiar é o espaço, por excelência, onde se pode estabelecer colaborações, apostar em inovações e assumir riscos. Venha conversar sobre possíveis formas de atuação, compartilhar suas experiências e conhecer iniciativas inspiradoras que traduzem valores familiares em instrumentos de transformação social.

  5. Doar “sem rótulos”: filantropia, confiança e flexibilidade

    Anfitriãs: Erika Sanchez Saez, Diretora executiva do Instituto ACP, e Mariana Brunini, coordenadora executiva do Movimento por uma Cultura de Doação
    Mackenzie Scott tornou-se símbolo de um novo jeito de fazer filantropia, ao fazer doações irrestritas, dando liberdade para a organização decidir onde e como utilizar os recursos, de acordo com sua estratégia. O que aprendemos com esse exemplo? Como ele desafia os paradigmas que até hoje nos pautaram? Quais são as formas de doar que fortalecem e geram sustentabilidade para as organizações?

  6. Filantropia e o apoio a comunidades vítimas de catástrofes e desastres naturais

    Anfitriã: Paula Gonçalo, coordenadora de projetos no IDIS
    Ementa: Estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) revelou que desastres naturais causaram R$ 341,3 bilhões de prejuízos em todo o Brasil, entre 2013 e 2022, e afetaram cerca de 8 milhões de brasileiros apenas no primeiro trimestre de 2022. Saiba como o investimento social privado tem colaborado em situações como estas e o que mais poderia ser feito para apoiar as comunidades no enfrentamento de catástrofes, que aumentam em frequência e gravidade a cada ano.

  7. Fatores ESG e Investimento Social Privado: os desafios da agenda social

    Anfitrião: Henri Rysman de Lockerente, Gestor de Fundos de Renda Fixa e especialista em ASG no BNP Paribas Asset Management
    A agenda sustentável é uma grande oportunidade para repensar a maneira como as empresas planejam e alocam seus investimentos levando em conta sua capacidade de promover, especialmente, transformações sociais alinhados ao negócio. Por outro lado, a pesquisa ESG Global 2021, do BNP Paribas, revelou que 51% dos investidores consultados consideraram o pilar ‘Social’ o mais difícil de analisar e incorporar às estratégias de investimento nas instituições. Venha debater as respostas a este desafio. (ESG é a sigla em inglês que significa Ambiental, Social e Governança)

  8. Dignidade, respeito e valorização da pessoa idosa: causa de todos

    Anfitriã: Regina Moraes, fundadora do Instituto Velho Amigo
    O Instituto Velho Amigo atua pela longevidade ativa e saudável, em defesa dos direitos essenciais dos idosos. Acredita na construção de uma sociedade mais empática, sensível e consciente e realiza atendimento direto, fortalecimento de instituições que atuam na causa do envelhecimento e advocacy. Colaboração é a base para o sucesso. Conheça as histórias e seja também um protagonista.  

  9. Conhecimento colaborativo: base para o fortalecimento da filantropia

    Anfitrião: Gustavo Bernardino, gerente de programas do GIFE
    Em 2018, o GIFE criou um Grupo de Conhecimento, com o objetivo de debater a produção de dados e informações do campo do ISP e sociedade civil e contribuir para o fortalecimento da infraestrutura de investimento social privado no país. Participam organizações de diferentes naturezas e é criado um ambiente fértil para colaboração. Conheça a abordagem, casos de sucesso e desafios da iniciativa.

  10. Pacto pelos 15% com fome: a filantropia no combate à insegurança alimentar

    Anfitrião: Marcelo Jambeiro, Relações Institucionais e Captador de Recursos no Ação da Cidadania
    33 milhões de brasileiros passam fome. 15% da população que não têm o que comer. O pior dado da história. A Ação da Cidadania lançou o movimento que se inspira na campanha do sociólogo Betinho, de 1993, para convocar empresas e sociedade a doar. Seja 15% das vendas, R$15, 15 centavos ou 15 segundos de seu tempo, tudo é válido para mudarmos essa realidade. Se você não está com fome, precisa fazer parte da solução.

  11. Retratos do trabalho informal no Brasil: desafios e caminhos para a solução

    Anfitriã: Vivianne Naigeborin, Superintendente da Fundação Arymax
    Como promover a inclusão produtiva digna em meio a um contexto de crescente informalidade, agravado pela pandemia da Covid-19? Entre os desafios, estão a falta de proteção social que esse grupo enfrenta e a insuficiência de políticas públicas. O estudo promovido pela Fundação Arymax e B3 Social será o fio condutor dessa conversa, que contribuirá para uma compreensão mais ampla sobre as causas e consequências da informalidade e os caminhos mais efetivos para inserir mais pessoas no mercado formal de trabalho.

  12. Panorama e perspectivas dos Fundos Patrimoniais no Brasil

    Anfitriã: Andrea Wolffenbüttel, consultora associada ao IDIS
     Será que existem muitos Fundos Patrimoniais Filantrópicos no Brasil? Qual será o patrimônio deles? Quantos estão dentro do modelo da lei 13.800 que os regulamenta? Em quais setores eles são mais comuns e quais causas apoiam? Descubra as respostas e venha refletir sobre as perspectivas desse importante instrumento para a sustentabilidade de causas e organizações.

  13. Criptomoedas, NFTs e blockchain: quais as oportunidades e riscos da Criptofilantropia?

    Anfitrião: Ruy Fortini, diretor executivo da Doare
     Muito se tem falado sobre leilões de NFTs e doações de criptomoedas, mas o terceiro setor está preparado para essas tecnologias? Será que organizações da sociedade civil devem aventurar-se no metaverso? Onde está a colaboração no mundo virtual? Venha conhecer mais sobre esses temas e traga suas dúvidas para a mesa.

  14. Transformando Territórios: a atuação de institutos e fundações comunitárias no Brasil

    Anfitriões: Hermes de Sousa, diretor-presidente do Instituto Cacimba, e Felipe Groba, gerente de projetos no IDIS
    Fundações e Institutos Comunitários (FICS) atuam em um território geográfico específico, são multi-causa e seu objetivo é colaborar financeiramente e tecnicamente com iniciativas locais. Conheça o modelo, a experiência do programa Transformando Territórios e a experiência de uma liderança inspiradora.

  15. Educação: estratégias e colaborações para enfrentar os desafios pós-pandemia

    Anfitriã: Mônica Pinto, Chefe de Educação na UNICEF Brasil, e Camila Carvalho,  Head de Parcerias UNICEF

    Ementa: Relatório publicado pelo Banco Mundial e UNICEF aponta que estudantes voltaram aos mesmos patamares de uma década atrás com relação à aprendizagem em Matemática e Língua Materna na América Latina e Caribe. Venha conversar sobre como avançar com mais velocidade e colaborar para o enfrentamento desse desafio com senso de urgência.

  16. A doação no carrinho de compras: novos modelos de doações via app

    Anfitriã: Flavia Rosso,  gerente de sustentabilidade no iFood
    Lançado em 2020, os recursos das doações feitas no aplicativo do iFood já ultrapassaram a marca de R$15 milhões doados. Saiba como o recurso vem sendo distribuído, quem são as organizações apoiadas, os desafios na gestão do programa e o que a experiência mostra sobre a cultura de doação no Brasil.

  17. Um novo tipo de capitalismo? Modelos de negócio que nascem guiados pelo impacto

    Anfitriã: Daniela Garcia, CEO do Capitalismo Consciente Brasil
    Cada vez mais empresas nascem conscientes de devem gerar impactos positivos e que o sucesso está em ambientes onde todos prosperam juntos. Saiba como líderes têm se engajado nessa temática e o que acontece quando capital e colaboração caminham de mãos dadas.

  18. Pessoas com Deficiência: igualdade de direitos e valorização das diferenças humanas

    Anfitrião: Rodrigo Mendes, fundador e superintendente do Instituto Rodrigo Mendes
    A inclusão de pessoas com deficiência é uma responsabilidade de toda a sociedade. Rodrigo Mendes, fundador e superintendente do Instituto que leva o seu nome, compartilha dados, conta o que faz por esta causa e como a filantropia pode colaborar.