#Fórum2020: A pergunta de 1 milhão: como seremos nós e o mundo após a pandemia?

Para responder à pergunta de um milhão, convidamos o economista Eduardo Gianetti, que abriu o Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais com uma fala realista. “A economia está em um processo de recuperação, mas não esperem que voltemos ao patamar anterior à pandemia já em 2021”, disse. Segundo ele, mais de USD 4 trilhões foram injetados na economia mundial nesse período de emergência. E pergunta: como vamos nadar quando esses recursos acabarem?

Enquete realizada durante a sessão

A outra incerteza que nos espera é saber como será o comportamento de investidores e consumidores: sermos mais prudentes ou vamos reagir? Gianetti diz que caminhamos para um mundo menos globalizado, mais endividado e mais digitalizado.

No Brasil a questão fiscal será um ponto-chave. O economista aponta que a dívida pública brasileira cresceu de forma acentuada, e fechará o ano entre 95% e 100% do PIB. “É administrável, mas requer cuidado. Para a sociedade, o principal aprendizado foi a gravidade da desigualdade estrutural”, disse durante a palestra. E fez um alerta de que, apesar do auxílio emergencial dado pelo governo, nenhum país resolve o problema de desigualdade com transferência de renda. A solução está em investimentos no capital humano – educação universal, saúde pública e saneamento básico.

Gianetti lembrou também que as doações no Brasil chegaram a R$ 6,3 bilhões e apesar da cultura brasileira ser movida pelo afeto, agora teremos que não apenas preservar, mas também alavancar esse movimento para termos um país mais justo. “Não devemos poupar esforços em avaliar e medir os resultados” e completa sugerindo que igualmente importante é mostrar com clareza a todos que contribuíram, com clareza, o impacto e a transformação na vida das pessoas beneficiadas.

Leia também:   #FórumIDIS 2020: Contagem regressiva - 10 anos para atingir os ODSs

Sobre os desafios que nos esperam e as prioridades para o Brasil, Eduardo Gianetti cita os dois principais. O primeiro é o emprego, sendo necessário o estímulo ao empreendedorismo com o devido apoio ao empreendedor. O segundo ponto diz respeito ao meio ambiente. O economista é categórico ao dizer que o governo brasileiro está se omitindo de forma criminosa na preservação do meio ambiente. “Temos que nos unir como sociedade em torno do meio ambiente. Vivemos um momento sombrio e um governo que mete os pés pelas mãos. não cuidando do nosso patrimônio”, finalizou.

A sessão foi transmitida ao vivo no YouTube do IDIS. Assista na íntegra:

O Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais é realizado pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social com o Global Philanthropy Forum. São parceiros ouro desta edição Fundação José Luiz Egydio Setubal e Santander, e parceiros bronze BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, BNP Paribas Asset Management, Bradesco Private Bank, Instituto ACP, Mattos Filho Advogados e Movimento Bem Maior.