#ForumIDIS2020: Juntos por uma causa - a união histórica de três grandes bancos pela Amazônia

29A preservação ambiental e desenvolvimento socioeconômico na Amazônia foram assuntos bastante presentes no debate público nos últimos anos. 0829ONGs, empresas e filantropos e até outros países cobram do governo uma posição que leve em consideração as populações e a cultura e os saberes locais, a sustentabilidade, o enfrentamento às mudanças climáticas e a manutenção da biodiversidade. Ao mesmo tempo, desenvolvem também ações que contribuem à esta complexa agenda. Neste painel, convidamos representantes dos bancos Bradesco, Itaú e Santander para compartilhar sua história de colaboração em prol da Amazônia, iniciativa que teve início com o enfrentamento à pandemia e evoluiu para uma agenda para apoiar a região, alinhada ao negócio dos bancos e com componentes de advocacy.

Karine Bueno, head de sustentabilidade do Santander, abriu o painel apresentando os quatro pilares prioritários da ação: culturas sustentáveis, considerando o financiamento aos pequenos produtores, engajamento do setor pecuarista para atuação conjunta no combate ao desmatamento, regulamentação fundiária e biodiversidade, com uma visão que inclui desde o extrativismo à industrialização. “Não há desenvolvimento pleno do Brasil se não há desenvolvimento pleno da Amazônia, na maior potencialidade que ela tem.” comenta.

A região foi uma das mais afetadas no início da pandemia, com o sistema de saúde em colapso e enormes desafios logísticos. Luciana Nicola, Superintendente de Relações Institucionais, Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú/Unibanco, contou a história do Todos pela Saúde na Amazônia, resposta do banco à pandemia que mobilizou R$ 1 bilhão em ações na região e que dada as especificidades do sistema de saúde local, é pensada para se tornar permanente. “Percebemos também que uma questão tão complexa como a que identificamos na Amazônia só poderia ser enfrentada com união. Em nossas reuniões os crachás ficam do lado de fora e juntos podemos gerar mais impacto”, relata.

Leia também:   IDIS apoia criação do Fundo pelo Fim das Violências contra Mulheres e Meninas

A gerente de sustentabilidade corporativa do Bradesco, Julia Spinasse, destacou que o diferencial do Plano Amazônia é que a questão passou a integrar efetivamente o dia a dia dos negócios, com equipes e grupos de trabalho sendo formados para tocar as frentes prioritárias. Por outro lado, reforçou que esta agenda vai além dos bancos: “Temos um plano ambicioso e é importante que os filantropos e a sociedade como um todo entendam como podem contribuir para essa agenda positiva na Amazônia. Os desafios são grandes, mas as oportunidades são maiores”, afirma.

Para apoiar a iniciativa, foi criado um conselho consultivo, com sete experts na região. Um plano de trabalho foi criado, baseado em 10 medidas para a região e o diálogo constante com os atores locais é premissa para que ele se desenvolva. A diretora-presidente do IDIS, Paula Fabiani, que mediou a sessão, encerrou dizendo que precisamos ter um capitalismo mais sustentável e que cuide de nosso planeta.

Assista aqui ao painel completo:

O Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais é realizado pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social com o Global Philanthropy Forum. São parceiros ouro desta edição Fundação José Luiz Egydio Setubal e Santander, e parceiros bronze BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, BNP Paribas Asset Management, Bradesco Private Bank, Instituto ACP, Mattos Filho Advogados e Movimento Bem Maior.