Um grupo em busca de soluções para os desafios da filantropia em países em desenvolvimento

No começo de fevereiro, cinco CEO´s dos escritórios da Charities Aid Foundation (CAF) em países em desenvolvimento se reuniram em Johanesburgo para discutir como unir suas experiências e habilidades para aumentar seu potencial de impacto na filantropia global.

Como o IDIS é o representante da CAF no Brasil, nossa presidente, Paula Fabiani, participou do encontro. Ela estava acompanhada por Meenakshi Batra, da CAF Índia, Masha Chertok, da CAF Rússia, Basak Ersen da Tusev da Turquia, recém-chegado ao grupo, e a anfitriã, Gill Bates, da CAF África do Sul. Os debates foram coordenados por Michael Mapstone e Sameera Mehra, da equipe da CAF Global Alliance baseados em Londres na CAF UK.

Primeiramente, eles identificaram alguns desafios comuns aos promotores da filantropia nas economias em desenvolvimento.

DESAFIOS COMUNS

• Crescimento da desigualdade
• Aumento da interferência governamental no Terceiro Setor
• Politização e polarização da sociedade civil
• Falta de marcos regulatórios que incentivem a filantropia
• Desconfiança no Terceiro Setor
• Falta de novas lideranças
• Gap entre gerações

Esses são obstáculos grandes e, alguns deles, antigos, mas o grupo também encontrou oportunidades presentes em todos os países.

OPORTUNIDADES COMUNS

• Aumento das doações na classe média
• Novos mecanismos de doação
• Aumento dos recursos focados em transformações sociais no campo dos investimentos de impacto
• Crescimento do engajamento cívico
• Empresas mais interessadas em adotar causas
• Pressão provocada pelas mudanças climáticas

Leia também:   Confira os vídeos do Fórum de Filantropos e Investidores Sociais de 2019

A partir das oportunidades tão promissoras, foi criado o Fast Growing Economies Group (FGE Group), que propõe a buscar soluções conjuntas para promover a cultura de doação no mundo.

“Partilhar experiências de países tão diferentes é sempre inspirador. Muitos problemas são comuns, mas a maneiras de enfrentá-los são diversas. As combinações de possibilidades trazem esperança de que existem caminhos promissores para o aumento da cultura de doação em escala global”, avalia Paula Fabiani.

O compromisso final do encontro, durante o qual foram lançados relatórios com pesquisas sobre a prática da doação na África do Sul, Uganda, Tanzânia e Quênia, foi de desenvolver em conjunto pesquisas, criar um movimento global para a promoção da cultura de doação e buscar novos países e organizações que possam completar e potencializar o impacto global do FGE Group!