#ForumIDIS: Avaliação de Impacto e a construção da Confiança

* Conteúdo inspirado em sessão da 8ª edição do Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais, realizado pelo IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social em setembro de 2019. Palestrantes: Jacqueline Connor, Diretora de Impacto da Enuma – EUA; Paulo Zuben, Diretor Artístico-Pedagógico da Santa Marcelina Cultura; José Marcelo Zacchi, Secretário Geral do GIFE, Grupo de Institutos, Fundações e Empresas; e moderação de Raquel Altemani, Gerente de Projetos do IDIS. Saiba mais aqui.

 

A avaliação de impacto tem se mostrado uma ferramenta eficaz para organizações de diferentes tipologias – empresas, fundações, institutos e outras organizações da sociedade civil. Nesta sessão, foi destacado seu papel na otimização das transformações sociais e sua contribuição para a construção da confiança.

O diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina, Paulo Zuben, compartilhou sua experiência. Os programas desenvolvidos pela instituição têm como objetivo desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Uma pesquisa com os alunos mostrou mais de 90% de satisfação. Interessante, mas não suficiente. Era necessário mostrar resultados mais objetivos para os financiadores do projeto.

“Em 2017 o IDIS começou a nos ajudar com o SROI (Retorno Social sobre Investimento), metodologia que permite monetizar o impacto social. Foi uma fase de amadurecimento e convencimento e uma decisão pioneira. Será que traz mesmo resultado? Para nossa felicidade, vimos que, para cada R$ 1,00 investido, o retorno era de R$ 6,56”, contou Paulo. A decisão de realizar a avaliação de impacto foi crucial e fez com que o programa da Santa Marcelina escapasse dos cortes no orçamento das verbas de cultura do governo estadual.  “O retorno do investimento foi comprovado, e isso garantiu a nossa sobrevivência”, comemorou.

Leia também:   IDIS e BNDES promovem debate sobre Fundos Patrimoniais no Rio de Janeiro

(Saiba mais sobre Avaliação de Impacto aqui)

Jacqueline Connor, diretora de impacto da Enuma, organização americana com foco em educação, ressaltou como é importante analisar o impacto do que é feito. Segundo ela, é preciso avaliar os problemas, contextualizá-los dentro das comunidades e gerar impacto. Cita que é importante saber aonde se quer chegar, e então definir como medir esses resultados. “A transparência é fundamental em todo o processo com nossos parceiros e a avaliação tanto quantitativa como qualitativa é de suma importância”, explicou Jacqueline.

O secretário geral do GIFE – Grupo de Institutos, Fundações e Empresas, José Marcelo Zacchi, concorda que a avaliação de impacto pode ajudar a gerar uma maior transparência e confiança. “Difundir boas práticas são requisitos para a criação de confiança”, afirma. Lembra também que o impacto causado é de várias naturezas – social, econômica e política. Sobre a última, segundo sua avaliação, existe ainda uma resistência sobre o papel das ONGs que não será superado apenas com a avaliação de impacto, ainda que este seja um dos pilares.

Assista à sessão na íntegra:

Veja aqui o álbum de fotos do evento.