As novas gerações de brasileiros são mais engajadas e doam mais

As novas gerações de brasileiros são mais engajadas, e doam mais, aponta o Country Giving Report 2018, o mais recente estudo sobre a doação individual no Brasil realizado pela Charities Aid Foundation (CAF) e  lançado nesta quarta-feira, dia 6 de fevereiro, pelo IDIS.        

O estudo mostra que pessoas entre 25-34 anos doaram mais dinheiro do que as pessoas com mais de 55 anos (75% vs 64%). Além disso, o estudo também constata que a faixa etária 18-24 anos é a que percebe mais o impacto positivo da atuação das organizações da sociedade civil no Brasil (85% vs 73% da média geral).

Sendo assim, é possível notar no estudo que com o passar dos anos, a cultura de doação tende a crescer, já que os jovens estão cada vez mais engajados. “É fantástico ver tantos brasileiros dispostos a doar seu tempo e dinheiro para aqueles que mais necessitam.”, afirma Paula Fabiani, diretora-presidente do IDIS.

As principais descobertas do estudo são:

– 7 em cada 10 pessoas, ou seja, 70% realizou uma doação em dinheiro nos últimos 12 meses, tanto para alguma organização sem fins lucrativos/caridade, para uma igreja ou organização religiosa, ou doando para uma outra pessoa.

– Doações em dinheiro são as mais populares, 68% das pessoas fizeram doações dessa forma

– Aproximadamente 8 em 10 pessoas disseram ter realizado alguma atividade de doação nos últimos 12 meses, sendo a mais comum doar dinheiro para a igreja ou alguma outra organização religiosa.

Leia também:   Qual é o impacto que você causa no mundo?

– A principal razão que leva os brasileiros a doarem é se sentir bem sobre eles mesmos (metade dos doares disseram isso), se importam com a causa (42%) e vontade de ajudar os mais necessitados (40%) como principais razões para doar.

– 76% dos entrevistados afirmaram que as doações têm um impacto positivo internacionalmente; uma proporção similar de pessoas disse que as doações têm impacto positivo nas comunidades locais e no Brasil como um todo (73%).

Para ler o relatório completo, acesse o link