Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências contra Mulheres e Meninas contra mulher será permanente

O Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências Contra Mulheres e Meninas, iniciativa da Avon em conjunto com a Rede Accor de hotéis, com o apoio do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), deixará de ser emergencial para se tornar permanente. Criado em 2020 em meio ao aumento de casos devido ao isolamento social consequência da pandemia de Covid-19. Ao todo, já foram atendidas mais de 6.400 mulheres pelo serviço de apoio.

Para realizar esta migração, o IDIS promoveu um workshop junto do Instituto Avon, da Accor, da Natura, e do Bem Querer Mulher, que foi o primeiro passo para tornar o Fundo Emergencial de Investimento Social Privado para enfrentar Violências contra Meninas e Mulheres em um Fundo Permanente. Utilizando uma metodologia de mapeamento sistêmico de violências contra mulheres criado pela Rights 4 Change, com patrocínio do Ministério de Relações Exteriores da Holanda, foi realizado um levantamento dos pontos positivos e negativos da política de enfrentamento à violência contra mulheres e meninas no Brasil. Este foi o primeiro passo para auxiliar o Fundo a definir suas novas prioridades de atuação.

 

Equipe do IDIS, Instituto Avon, Accor e Bem Querer Mulher em workshop realizado em abril de 2022.

 

HISTÓRIA DO FUNDO

Em 2020, em meio à pandemia da Covid-19 houve o agravamento dos casos de violência contra mulheres e meninas, o que motivou o Instituto Avon, em parceria com a Accor, a instituir o Fundo de Investimento Social Privado pelo Fim das Violências contra Mulheres e Meninas. O IDIS é gestor programático e se envolveu na definição de diretrizes estratégicas, governança e metas do fundo e no estabelecimento de suas linhas de atuação, características e critérios para as doações e processo de seleção dos beneficiários.

 

NÚMEROS DO FUNDO

Em 2021, o valor total investido foi de R$ 833.855,00 para realizar o abrigamento temporário de mulheres e seus filhos em sete casas de passagens distribuídas em seis estados brasileiros. Esse valor possibilitou a melhoria das acomodações e a criação de 430 vagas de acolhimento. Ao todo, 6.491 mulheres foram atendidas pelos serviços de apoio, enquanto 3.527 foram acolhidas.

Já o Programa Acolhe, plataforma de serviços integralmente financiada pelo Fundo para promover a parceria entre os setores público e privado para abrigamento e capacitação dessas mulheres, realizou o treinamento e a implementação do projeto com mais de 600 gestores e técnicos da rede de acolhimento, em mais de 100 municípios habilitados e ofereceu 960 diárias para mulheres em vulnerabilidade. Além de acolher e encaminhar as mulheres para atendimentos jurídico e apoio psicológico, o projeto também oferece ferramentas para que essas mulheres possam mudar seu futuro e de suas famílias com a capacitação profissional.

Outro pilar de atuação do Programa Acolhe é a segurança alimentar que tem por finalidade reduzir a vulnerabilidade socioeconômica extrema com a qual convivem. Nesta frente, 210 cartões de auxílio-alimentação foram distribuídos com investimento de R$126.000,00.

Daniela Grelin, diretora executiva do Instituto Avon, explica que a iniciativa do setor privado também tem foco no fortalecimento das políticas públicas. “Ao colaborarmos para a melhoria de casas de passagens, acolhimento, atendimento e capacitação, incentivamos e fortalecemos o engajamento do setor público para ampliar os serviços oferecidos para a proteção de mulheres e meninas que se encontram em situação de violência. Garantir a sua saúde e segurança é um dos principais pilares da atuação do Instituto Avon, por isso, em 2022 vamos continuar movimentando e engajando o setor privado para ampliar o acesso das mulheres que precisam de apoio e que estão ainda mais vulneráveis durante a pandemia”, afirma.

 

 

Sobre o Instituto Avon

O Instituto Avon é uma organização não-governamental que se dedica a salvar vidas por meio de ações e iniciativas em prol da detecção precoce do câncer de mama e do enfrentamento das violências contra as mulheres e meninas no Brasil. Desde 2003, tem como missão fortalecer a saúde, a proteção e o empoderamento da mulher. Para isso, conta com a parceria de instituições da sociedade civil, do setor privado e do poder público, atuando na produção de conhecimento, articulação e desenvolvimento de projetos e no apoio de iniciativas de impacto transformador e que busquem o engajamento de todos os setores da sociedade para o avanço das causas. Como braço de investimento social da Avon, empresa privada que investiu mais de R$ 170 milhões em ações sociais voltadas às mulheres no Brasil, o Instituto já apoiou a realização de mais de 350 projetos e ações, beneficiando mais de 6 milhões de mulheres em todo o País.

 

Sobre a Accor

A Accor é um Grupo líder global em hospitalidade, composto por mais de 5,200 propriedades e mais de 10,000 locais de comidas e bebidas 110 países. O grupo tem um dos ecossistemas de hospitalidade mais diversificados e totalmente integrados da indústria, abrangendo mais de 40 marcas de hotéis de luxo, premium, midscale e econômico, conceitos de estilo de vida exclusivos; locais de entretenimento e vida noturna; restaurantes e bares; residências privadas de marca; propriedades de acomodação compartilhada; serviços de concierge; espaços de co-working e muito mais. A Accor possui uma incomparável posição na categoria de lifestyle – uma das categorias de crescimento mais rápido na indústria – liderada pela Ennismore, uma empresa de hospitalidade criativa com um portfólio global de marcas empreendedoras e fundadas com propósito em seu coração.

A Accor também possui um portfólio extenso de marcas distintas e aproximadamente 260.000 membros de equipe em todo o mundo. Mais de 68 milhões de membros se beneficiam do abrangente programa de fidelidade da empresa ALL – Accor Live Limitless – um companheiro de estilo de vida diário que oferece acesso a uma ampla variedade de recompensas, serviços e experiências. Por meio das iniciativas Planeta 21 – Acting Here, Accor Solidarity, RiiSE e ALL Heartist Fund, o grupo está focado em impulsionar ações positivas por meio da ética nos negócios, turismo responsável, sustentabilidade ambiental, engajamento comunitário, diversidade e inclusão.

Fundada em 1967, a Accor SA está sediada na França e listada publicamente na Bolsa de Valores Euronext Paris Stock Exchange (código ISIN: FR0000120404) e no Mercado OTC (Ticker: ACCYY) nos Estados Unidos. Para obter mais informações, visite o site ou siga a Accor no TwitterFacebookLinkedIn e Instagram.

IDIS reúne comunidade filantrópica e aprofunda debate sobre o ‘Capital e a Humanidade’

Conheça os destaques da edição especial do 10º Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais

Com céu azul e clima de celebração, aconteceu a edição presencial do 10º Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais. Ao longo de uma manhã, os convidados voltaram a se encontrar depois de um longo período de contato exclusivamente online, e conversar sobre os desafios que se apresentam e como enfrentá-los a partir da perspectiva da filantropia estratégica. “Com a população cada vez mais vacinada, ousamos reunir nossa comunidade. Para a segurança de todos, optamos por um local aberto e público limitado a 50 pessoas*. A sociedade e o meio ambiente exigem ação e saímos com as energias renovadas e com esperança para seguirmos em frente”, comenta Paula Fabiani, CEO do IDIS.

*A comprovação da vacinação contra COVID-19 era exigida para entrada no evento e o uso de máscaras durante as sessões era obrigatório para a plateia.

Paula Fabiani, CEO do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social na abertura da edição especial do 10º Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais – Foto: André  Porto

Tema transversal de todas as sessões, “Capital e a Humanidade” é um assunto que tem ocupado o centro dos debates em diversos setores e continentes. Manifestações ao redor do mundo exigem mudanças no modelo atual, que produz inequidades e destrói os recursos naturais. Surgem movimentos como Imperative 21, campanha que pretende redefinir o capitalismo para maximizar o bem-estar compartilhado em um planeta saudável. O Fórum Econômico de Davos apontou a necessidade de um compromisso novo do capital, e a pandemia de Covid-19 explicitou o poder da colaboração entre os diversos setores e a filantropia.

 

Contexto Brasil: desenvolvimento e filantropia

Maílson da Nóbrega (Foto: André Porto)

O evento abriu com a sessão Contexto Brasil: desenvolvimento e filantropia, com a participação do economista e ex-Ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega e a moderação de Marcia Groszmann, líder de Investimentos para Instituições Financeiras Brasileiras no BID Invest. A importância crescente do investimento social corporativo, o fortalecimento da cultura de doação no Brasil e a necessidade de mudanças na legislação para a destinação de recursos de privatizações e conceções para Fundos Patrimoniais foram os destaques da fala de Maílson. Além da leitura como especialista, falou também a partir de sua experiência como voluntário no GRAAC – Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer, que, segundo ele, é um exemplo do poder transformador das organizações da sociedade civil. Márcia destacou também a importância da mensuração de impacto, demanda cada vez maior dos investidores.

A programação seguiu com três mesas temáticas, que abordaram assuntos bastante contemporâneos, sempre pautados por pesquisas e dados. Confira a matéria completa aqui.

 

 O capital e equidade de gênero

 

Palestrantes da mesa ‘O capital e equidade de gênero’ – Foto: André Porto

Na sessão ‘O capital e equidade de gênero, Sônia Hess, vice-presidente do grupo Mulheres do Brasil e fundadora e idealizadora do Fundo Dona de Mim, e Amalia Fischer, CEO do ELAS + Doar para Transformar, compartilharam seus pontos de vista como articuladoras da sociedade civil e destacaram como tem acontecido o engajamento de empresas. A moderação foi de Marcia Kalvon Woods, assessora da Fundação José Luiz Egydio Setúbal.

Confira o resumo da mesa e a gravação na íntegra aqui.

 

O papel das empresas na Equidade Racial

 

Hélio Santos, presidente do Conselho do Pacto de Promoção da Equidade Racial – Foto: André Porto

Para debater ‘O papel das empresas na Equidade Racial, sob moderação de Flavia Regina de Souza, sócia de Mattos Filho Advogados, foram convidados o professor Hélio Santos, presidente do Conselho do Pacto de Promoção da Equidade Racial e Presidente do Conselho da Oxfam Brasil, que contextualizou bem a questão e destacou o papel inovador do Pacto, e Edvaldo Vieira, CEO da Amil, que trouxe sua experiência como empresário e o caminho que tem trilhado para a construção de um ambiente mais diverso e inclusivo.

Confira o resumo da mesa e o vídeo na íntegra aqui.

 

Redes pelo clima: novos modelos de desenvolvimento para o Brasil e a Amazônia

Palestrantes da mesa Redes pelo clima: novos modelos de desenvolvimento para o Brasil e a Amazônia Foto: André Porto

O encerramento foi marcado pelo painel ‘Redes pelo clima: novos modelos de desenvolvimento para o Brasil e a Amazônia, que trouxe os destaques da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, a COP26, realizada na semana anterior. Renata Piazzon, gerente do programa de mudanças climáticas do Instituto Arapyaú, e Marcello Brito, presidente do Conselho Diretor da ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio, deixaram claro que a solução de problemas complexos como a questão da Amazônia passa pela articulação de atores de toda sociedade – empresas, governos, academia, sociedade civil devem atuar juntos.

Confira o resumo e a sessão na íntegra aqui.

confira as discussões

Para saber mais sobre cada uma das sessões, leia as matérias sobre cada uma delas. A gravação de todas também está disponível no perfil IDIS_Noticias no YouTube.

Ao final do evento, dois pontos ficaram bastante evidentes. O primeiro é que a agenda ESG (do inglês, Ambiental, Social e Governança) não é apenas uma moda. Ela veio para ficar e aos poucos, traduzimos para o Brasil não só a sigla, mas também seus significados a partir da realidade e desafios locais. O outro, é a importância crescente do papel da sociedade civil neste momento turbulento do país, e tem se fortalecido e agregado atores. As conquistas podem não acontecer na velocidade que almejamos, mas são contínuas e perceptíveis em todos temas discutidos.

O Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais aconteceu em 17 de novembro de 2021, no Jockey Club de São Paulo. Esta é uma realização do IDIS, em parceria com o Global Philanthropy Forum e a Charities Aid Foundation, e esta edição teve apoio prata do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, e apoio bronze da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, Instituto Sicoob, Mattos Filho Advogados e Movimento Bem Maior. Esta foi uma edição especial, que aprofundou as conversas iniciadas no evento online realizado em junho do mesmo ano (saiba mais aqui).