IDIS e Latimpacto firmam parceria para o avanço do Investimento para Impacto no Brasil

O desejo de alinhar investimento a desenvolvimento social é crescente e abre espaço para mecanismos alternativos de financiamento de iniciativas que transformem nossa sociedade. Uma dessas modalidades é o investimento para impacto, ou venture philanthropy, uma abordagem de investimento que prioriza o impacto social e ambiental sobre o retorno financeiro. Ele está posicionado entre a filantropia tradicional e o investimento de impacto, já que visa gerar mudanças sistêmicas, é estratégico na forma como utiliza os recursos financeiros e humanos e adota processos e práticas do setor financeiro para provocar essas mudanças. Esta é mais uma forma de identificar e desenvolver soluções inovadoras que rapidamente possam ser escaladas e replicadas por outro tipo de investidor, como instituições do setor financeiro, fundos de investimento de impacto ou investidores tradicionais que visam retorno financeiro.

 

Sobre a Latimpacto

Criada em 2020, a Latimpacto é uma rede latino-americana que mobiliza os provedores de capital social para garantir uma implementação mais eficaz dos recursos financeiros e não financeiros e, assim, gerar impacto social e ambiental positivo, sustentável e de longo prazo. Com tem equipes no Brasil, Colômbia e México, se torna uma importante parceira do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social. “Para nós é uma honra oficializar essa parceria com o IDIS, uma instituição com tanta credibilidade e relevância no campo do investimento social no Brasil. A Latimpacto é uma rede que está nascendo guiada por uma abordagem muito clara que é a Venture Philanthropy, e um dos nossos objetivos principais é mobilizar diferentes tipos de investidores, como filantropos, empresas e mercado financeiro. Promovemos atividades de conhecimento e facilitamos conexões e fazer isso junto com o IDIS certamente trará bons frutos para o Brasil e América Latina.” explica Greta Gogiel Salvi, Brazil Country Director da Latimpacto.

 

A parceria

Ao compreender o ecossistema brasileiro e os aspectos socioeconômicos e desafios do país, o IDIS se torna um embaixador ativo da Latimpacto, apoiando a promoção do investimento para impacto mais estratégico no país. A parceria inclui a realização de eventos, a produção de artigos e publicações, capacitações, além da participação no Conselho da Latimpacto. “O IDIS, desde a sua fundação, tem como missão mapear e promover as novas formas de se pensar e fazer investimento social privado no país, articulando parcerias estratégicas com atores importantes do setor. A parceria com a Latimpacto reflete essa trajetória e abrirá portas para maior interlocução e acesso a novos atores e práticas do ecossistema global de impacto”, comenta Renato Rebelo, diretor de projetos do IDIS.

 

Primeira ação conjunta

A primeira atividade em conjunto será o café da manhã virtual Brasil e Portugal: inovação social e investimento de impacto, com Luis Melo, membro do conselho da EVPA, rede europeia de venture philanthropy, e Diretor do Programa Coesão e Integração Social da Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal. Luis lidera um portfólio de projetos de inovação social, investimento de impacto e social impact bonds na Fundação, além de sólida experiência em investimento para impacto em Portugal e Europa. O encontro será uma excelente oportunidade para aprender e se inspirar com a liderança de uma organização que está trabalhando por uma sociedade mais justa e solidária, preparando os cidadãos do futuro.

O evento conta também com o apoio do Instituto Humanize e acontecerá no dia 1º de junho, das 8:30h às 10h, em formato virtual. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas em http://bit.ly/brpt_inovsoc.

Ecossistema da filantropia na América Latina precisa melhorar como um todo

Essa é uma das conclusões do webinar ‘Future of Latin American Philanthropy’, realizado pela Alliance Magazine, em parceria com o IDIS, como parte das comemorações de 25 anos da revista, e que reuniu 333 participantes.

O webinar, que aconteceu no dia 20 de abril de 2020, contou com palestrantes do Brasil, do Chile e da Colômbia, sob a moderação de Elika Roohi, editora digital da Alliance Magazine.

Apesar das diferenças locais, as visões trazidas pelas palestrantes tinham muitos pontos em comum.

Todas destacaram a importância do fortalecimento do ecossistema da filantropia, sendo que Magdalena Aninat, do Centro de Filantropia e Inversiones Sociales, da Universidade Adolfo Ibañez, no Chile, acredita que um ambiente político favorável e um bom sistema de incentivos fiscais são duas ferramentas poderosas para o aumento das doações.

Falando sobre ambiente político, Inês Mindlin Lafer, representante do Instituto Betty e Jacob Lafer, com sede em São Paulo, fez questão de lembrar que, no Brasil, o espaço para a sociedade civil está encolhendo e as organizações do Terceiro Setor estão sob ataque. Inês afirmou que o País vive um retrocesso em termos de democracia e dos níveis de pobreza.

Carolina Suarez, CEO da Latimpacto, uma rede regional de Venture Philanthropy, com sede na Colômbia, apresentou, entre algumas reflexões sobre o panorama da filantropia latino-americana, o desejo de se tornar mais estratégica, o aumento do apetite a risco e um crescente nível de colaboração entre os atores do campo, mesmo quando adotam formas de financiamento diversas.

Paula Fabiani, diretora-presidente do IDIS, também destacou a colaboração como um dos pontos que mais avançaram na prática filantrópica, especialmente a partir do evento da pandemia do Covid-19. Paula mencionou outros destaques que considera relevantes, tais como o crescimento do uso da tecnologia por organizações sociais, a valorização dos dados e da avaliação de impacto, e, sobretudo o interesse, cada vez maior, pela filantropia comunitária, que desenvolve um olhar abrangente sobre o território e busca soluções sistêmicas para as populações do local.

Por fim, todas louvaram as iniciativas coletivas, surgidas no combate aos efeitos da pandemia, reunindo filantropos, organizações sociais e coletivos, que deixaram para trás identidades e marcas, expondo suas bandeiras e causas como o mais forte elemento mobilizador.

Ao final do webinar, a imagem do futuro da filantropia latino-americana pareceu ser altamente positiva, pois há espaço para crescer em vários sentidos. Os atores já estão mais maduros, há uma infraestrutura que vem se fortalecendo e o nível de colaboração tende a aumentar. Além desses aspectos, existe a possibilidade de conservar viva a onda de solidariedade nascida no ano passado, devido à pandemia.

Uma curiosidade: no meio do webinar, foi feita uma enquete junto aos participantes, para saber em qual campo a filantropia latino-americana deve investir. Veja abaixo os resultados.

1º lugar: Justiça Social e Democracia

2º lugar: Educação

 

Caso tenha interesse, você pode assistir à íntegra do webinar em: