×

Vaga de Coordenador(a) de Projetos – Gestão de Doações

O IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social tem uma nova oportunidade para profissionais com experiência na área de gestão de doações.

A pessoa será coresponsável pela execução das atividades da área de gestão de doações e validação nacional e internacional de OSCs do IDIS, realizando atividades relacionadas ao planejamento e implantação de projetos e parcerias que estejam alinhados a missão do IDIS

Para cadastrar-se para essa oportunidade, acesse nossa página da 99 Jobs até 14 de maio de 2022.

 

RESPONSABILIDADES

    • Apoiar na gestão estratégica e operacional/financeira de Fundos Filantrópicos;
    • Condução de reuniões com clientes
    • Realizar pesquisas de conteúdo e analisar dados para apoiar projetos de consultoria;
    • Montar apresentações em PPT;
    • Envolver-se na formulação e gestão de Editais, desde o planejamento, seleção, formalização, monitoramento e entrega de resultados para os clientes;
    • Apoiar no controle, monitoramento e avaliação de prestação de contas financeiras e técnicas ligadas às doações e editais;
    • Apoiar a formalização de minutas contratuais;
    • Apoiar a validação e contato com organizações sociais;
    • Realizar avaliações técnicas de OSCs para clientes estrangeiros
    • Elaboração de Mapa Estratégico por meio de metodologias como Teoria de Mudança, Canvas, Futures Thinking, Teoria U, Marco Lógico, Design Thinking, etc.
    • Definição de indicadores de monitoramento e avaliação de processos, resultados e impacto de organizações e projetos.
    • Facilitação e apoio a grupos de trabalho e comitês temáticos.
    • Elaboração de Plano de Ação com base em metodologias como Smart Goals, Ciclo PDCA, 5W2H, etc.
    • . Planejamento, elaboração e condução de apresentações e capacitações presenciais e virtuais em temas relacionados a Investimento Social Privado, Responsabilidade Social Corporativa, Governança, entre outros, em Português e Inglês.
    • Análise de informações e elaboração de conclusões e recomendações.
    • Elaboração de relatórios e apresentações em Português e Inglês.
    • Auxílio na coordenação da equipe dedicada ao projeto.
    • Zelar pelo cumprimento do cronograma e orçamento previstos para os projetos.
    • Manter os dados atualizados e organizados no sistema de CRM e software de gestão de projetos.
    • Zelar pela ética e valores institucionais do IDIS
    • Outras atividades relacionadas.

     

 

INSTRUÇÃO E EXPERIÊNCIA

 
Formação superior completa e experiência mínima de 3 anos em relacionamento e captação de recursos com foco em Investimento Social Privado.

REQUISITOS DO CARGO:

Instrução e Experiência:  Formação superior completa e experiência mínima de 3 anos na coordenação de processos de Investimento Social Privado.

Inglês fluente (para validação de OSCs para clientes estrangeiros, reuniões com clientes estrangeiros, elaboração de relatórios e realização de apresentações).


CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

 

  • Conhecimentos avançados sobre estratégias, políticas e práticas de Investimento Social Privado, Sustentabilidade, Responsabilidade Social Empresarial e Investimento de Impacto.
  • Sistematização e análise de informações qualitativas e quantitativas.
  • Elaboração e análise de planilhas Excel, incluindo manuseio de bases de dados, elaboração de tabelas dinâmicas e gráficos.
  • Elaboração de apresentações com boa apresentação visual, storytelling, clareza e objetividade na transmissão de conteúdos e conclusões.
  • Conhecimentos avançados de inglês na linguagem oral e escrita.
  • Diferencial: formação em Gestão de Projetos/Programas Sociais

 

COMPETÊNCIAS:

 

  • Alto grau de organização e flexibilidade para gestão de projetos complexos
  • Iniciativa, desenvoltura, planejamento, organização, gosto pelo estudo e pelo investimento social privado, capacidade para solucionar problemas, capacidade analítica, foco em resultados, bom relacionamento interpessoal.

 

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS:

  • Conhecimento teórico e experiência prévia na aplicação de metodologias de gestão de investimento social.
  • Conhecimento teórico e experiência prévia na aplicação de metodologias de gestão de projetos sociais
  • Habilidade para sistematizar informações.
  • Excel e Power Point intermediário/avançado.
  • Habilidades comportamentais para manter bom relacionamento com equipe e clientes, bem como com outros parceiros estratégicos do IDIS.
  • Habilidades para realizar coordenação de reuniões com clientes.

VAGA:

Tipo de contratação: PJ
Remuneração a combinar
Local de trabalho: combinação de presencial (escritório na região de Pinheiros – São Paulo, e remoto, com disponibilidade para viajar (sempre que a pandemia permitir).

 

BENEFÍCIOS

Contratação PJ
Início em Junho de 2022
Tipo de trabalho – Híbrido (remoto e presencial)
Combinação de presencial e remoto, com disponibilidade para viajar sempre que a pandemia permitir.

LOCALIZAÇÃO

Localização: São Paulo – SP (próximo à estação Pinheiros do metrô e trem)

 

INSCRIÇÕES

Essa oportunidade está disponível em nossa página da 99 Jobs, inscreva-se até 14 de maio.

 

IDIS – INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DO INVESTIMENTO SOCIAL

Somos o IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social, uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP) fundada em 1999 e pioneira no apoio técnico ao investidor social no Brasil. Com a missão de inspirar, apoiar e ampliar o investimento social privado e seu impacto, trabalhamos junto a indivíduos, famílias, empresas, fundações e institutos corporativos e familiares, assim como organizações da sociedade civil em ações que transformam realidades e contribuem para a redução das desigualdades sociais no país.

Nossa atuação baseia-se no tripé geração de conhecimentoconsultoria e realização de projetos de impacto, que contribuem para o fortalecimento do ecossistema da filantropia estratégica e da cultura de doação. Valorizamos a atuação em parceria e a cocriação, acreditando no poder das conexões, do aprendizado conjunto, da diversidade e da pluralidade de pontos de vista.

 

 

Edital da Água: 4ª edição recebe inscrições para desenvolvimento de projetos para gestão de recursos hídricos

O Instituto Mosaic selecionará 15 ações desenvolvidas por organizações da sociedade civil e instituições de ensino superior para receber investimentos de até R$ 45 mil

Em comemoração ao Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, o Instituto Mosaic, entidade social mantida pela Mosaic Fertilizantes, uma das maiores produtoras globais de fosfatados e potássio combinados, abre as inscrições para a quarta edição do Edital da Água, programa que seleciona e incentiva projetos que contribuam com boas práticas de gerenciamento de recursos hídricos e garantam maior disponibilidade de água de qualidade e saneamento para todos. O instituto beneficiará 15 projetos – com investimento de até R$ 45 mil cada – para desenvolvimento de suas atividades.

“Acreditamos que o incentivo a ideias que transformem a comunidade para aprimoramento da qualidade de vida das gerações futuras é primordial para o desenvolvimento humano. É uma grande satisfação poder promover e incentivar uma revolução positiva vinda de projetos de diferentes regiões do Brasil”, comenta Paulo Eduardo Batista, diretor de Performance Social da Mosaic Fertilizantes.

A oportunidade está aberta para propostas provenientes de 35 cidades (lista abaixo) e que sejam voltadas para desenvolvimento científico, pesquisa e teste de novas tecnologias para a boa gestão da água, bem como projetos que engajem e beneficiem diretamente comunidades, como iniciativas de recuperação de nascentes, instalação de sistemas de coleta de águas pluviais, implantação de sistemas tratamento e/ou reuso, limpeza e conservação de áreas preservação permanente, entre outros.

 

Serão priorizadas iniciativas de sucesso implementadas em edições anteriores e projetos que promovam a gestão sustentável da água em benefício de grupos minorizados ou vulnerabilizados, assim como os propostos por organizações lideradas por pessoas que pertençam a esses grupos, entre eles, mulheres, pessoas com deficiência, pessoas negras, indígenas ou não brancas e comunidades tradicionais.

 

Com o intuito de atender aos demais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, essa edição do edital também irá selecionar iniciativas que trabalhem para: ODS 2 – acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável; ODS 5 – alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; ODS 8 – promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos; ODS 13 – Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos; e ODS 14 – Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

 

“É gratificante para a CerVivo receber o carinho das pessoas e comunidades impactadas com os projetos realizados por meio do Edital da Água. Somos agradecidos pelas comunidades, escolas, empresas e pessoas que acreditaram em nós e aceitaram fazer parte do nosso trabalho. E firmamos o nosso compromisso em continuar fazendo a diferença em promover um mundo melhor”, afirma Lucimar Gonçalves, presidente da CerVivo.

 

O Edital da Água conta com o apoio técnico do Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social – IDIS, organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP), fundada em 1999 com a missão de inspirar, apoiar e ampliar o investimento social privado e seu impacto.

 

Inscrições Edital da Água 2022

Prazo: de 22 de março, Dia Mundial da Água, até as 18h de 24 de abril

Cidades: BAHIA (BA): Barreiras | Candeias; GOIÁS (GO): Anápolis | Catalão | Ouvidor | Rio Verde; MARANHÃO (MA): São Luís | Balsas; MATO GROSSO (MT): Rondonópolis | Sorriso; MATO GROSSO DO SUL (MS): Campo Grande; MINAS GERAIS (MG): Araxá | Alfenas | Conquista | Delta | Patos de Minas | Patrocínio | Sacramento | Tapira | Uberaba; PARANÁ (PR): Paranaguá; SANTA CATARINA (SC): São Francisco do Sul; SÃO PAULO (SP): Campinas | Cajati | Cubatão | Pariquera-açu | Registro | Jacupiranga | São Paulo; SERGIPE (SE): Barra dos Coqueiros | Capela | General Maynard | Japaratuba | Rosário do Catete; RIO GRANDE DO SUL (RS): Rio Grande

Processo: preencher o formulário de inscrição disponível em https://bit.ly/editalagua2022. 

a planilha de orçamento e cronograma do projeto, disponíveis em www.mosaicco.com.br; reunir os documentos obrigatórios e complementares; e enviar a documentação ao IDIS (editalagua2022@idis.org.br), efetivando a inscrição.

 

Sobre Mosaic Fertilizantes

Com a missão de ajudar o mundo a produzir os alimentos de que precisa, a Mosaic atua da mina ao campo. A empresa entrega cerca de 27,2 milhões de toneladas de fertilizantes ao ano para 40 países, sendo uma das maiores produtoras globais de fosfatados e potássio combinados. No Brasil, por meio da Mosaic Fertilizantes, opera na mineração, produção, importação, comercialização e distribuição de fertilizantes para aplicação em diversas culturas agrícolas, ingredientes para nutrição animal e produtos industriais. Presente em dez estados brasileiros e no Paraguai, a empresa promove ações que visam transformar a produtividade do campo, a realidade dos locais onde atua e a disponibilidade de alimentos no mundo. Para mais informações, visite www.mosaicco.com.br. Siga-nos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

 

Instituto Mosaic: transformando a realidade dos territórios onde atuam

Fundado em 2008 e reestruturado em 2019, o Instituto Mosaic tem como objetivo promover o desenvolvimento mútuo e sustentável nas comunidades do nosso entorno. Com isso, buscamos o combate à desigualdade social e a criação de uma rede que promova o bem-estar, a educação de qualidade, a formação de pessoas e o fortalecimento de valores essenciais, como ética, colaboração e responsabilidade. Assim, é possível nutrir uma sociedade brasileira mais digna e justa.

 

Informações para a imprensa, favor contatar:

CDN | mosaic@cdn.com.br

 

 

 

 

 

 

 

IDIS tem projeto de advocacy contemplado por edital internacional da WINGS

Há décadas os Fundos Patrimoniais têm se mostrado um mecanismo de uso crescente e exitoso para a mobilização de recursos que apoiem causas de impacto social positivo em diversos países. Tais iniciativas contribuem, assim, para um setor filantropo muito mais forte e estruturado, alcançando, dessa forma, resultados e recursos cada vez mais relevantes. Recentemente, o IDIS foi selecionado para uma bolsa em um desses fundos como instituição representante no Brasil.

 

Em todo o mundo, países enfrentam dificuldades para atingir o potencial da filantropia. Entre as razões, questões tributárias, regulatórias, ameaças à liberdade de expressão e até a falta de articulação entre atores do ecossistema. Com o objetivo de abrir estes caminhos, a WINGS, organização que fomenta o desenvolvimento da filantropia ao redor do mundo, criou o projeto “Unlocking Philanthropy’s Potential: Enhancing the Enabling Environment, Effectiveness and Leveraging the Contributions of Philanthropy Actors’, em português ‘Desbloqueando o potencial da filantropia: aprimorando o ambiente propício, a eficácia e alavancando as contribuições dos atores filantrópicos’, com financiamento da União Europeia.

 

De acordo com a organização, ao alavancar recursos para esta causa, contribui não só para que a sociedade civil possa prosperar, mas também para o cumprimento dos ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, especialmente no Sul global.

 

O ‘WINGS Enabling Environment Fund for Philanthropy’ é quem integra esta iniciativa. Por meio do fundo, a organização selecionou projetos de onze organizações em diferentes países. A ação de advocacy pelos Fundos Patrimoniais Filantrópicos do IDIS foi uma das contempladas. Com o recurso, seguiremos na liderança da Coalizão pelos Fundos Filantrópicos, grupo multisetorial composto por mais de 70 signatários, entre organizações, empresas e indivíduos, e avançaremos na agenda de incidência.

 

O valor recebido contribuirá também para a produção de conhecimento, com destaque para a publicação ‘Panorama dos Fundos Patrimoniais no Brasil’, levantamento inédito sobre os endowments ativos no país.

 

No Brasil, também foi selecionada uma ação da ABCR – Associação Brasileira dos Captadores de Recursos para a promoção de um ambiente fiscal mais favorável às organizações da sociedade civil.

Conheça no site da WINGS os demais vencedores.

 

Mais sobre Fundos Patrimoniais

Acesse mais conteúdos nesta temática produzidos pelo IDIS aqui.

Caso queira saber mais sobre fundos patrimoniais ou queria conhecer nossos serviços, envie um e-mail para comunicacao@idis.org.br.

Conheça os ganhadores do Edital da Água 2021 da Mosaic Fertilizantes

No Dia Mundial dos Oceanos, celebrado no último dia 8, a Mosaic Fertilizantes e o Instituto Mosaic divulgaram a lista de projetos contemplados pelo Edital da Água 2021, que contou com o apoio técnico do IDIS. O objetivo do edital é promover ações de melhoria da gestão dos recursos hídricos nas comunidades em que a empresa atua e, para isso, foram selecionadas 15 iniciativas capazes de contribuir com o ODS 6 – água potável e saneamento.

Nessa terceira edição do Edital, foram recebidas 70 inscrições de 57 organizações da sociedade civil diferentes e de 8 universidades, demonstrando uma maior capilaridade do Edital da Água dentro do terceiro setor em relação às edições anteriores, uma grande conquista para a Mosaic Fertilizantes e para o Instituto Mosaic, que buscam também fortalecer o desenvolvimento das organizações da sociedade civil nas regiões em que atua.

As organizações inscritas passaram por um processo de validação institucional conduzida pelo IDIS e as iniciativas foram avaliadas por uma banca de especialistas na temática de recursos hídricos. O resultado foi a seleção de 15 vencedoras, que irão receber um apoio de até R$ 45 mil cada para implementarem seus projetos.

Conheça as organizações contempladas:⠀

1- Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Campo Grande (MS)

2- Associação Quilombola de Patioba – Japaratuba (SE)

3- Associação Cerrado Vivo (CERVIVO) – Patrocínio (MG)

4- Associação de Turismo Rural Ecológico e Aventura de Araxá e região – Araxá (MG)

5- Engenheiros sem fronteiras – Brasil – Patos de Minas (MG)

6- Humana Brasil – Candeias (BA)

7- Universidade de Uberaba (Uniube) – Uberaba (MG)

8- Centro de Integração Social da Mulher Vida Mulher Viva – Catalão (GO)

9- UNESP – Registro (SP)

10- Associação Renovar de Tecnologia e soluções para o Agronegócio, Meio Ambiente e Topografia – Alfenas (MG)

11- Instituto Agronelli de Desenvolvimento Social – Uberaba (MG)

12- Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Conquista – APAE –Conquista (MG)

13- Instituto Consciência e Ação – Araxá (MG)

14- ONG Corrente do Bem – Tapira (MG)

15- Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Uberaba – APAE – Uberaba (MG)

Conheça os vencedores do edital do Instituto AIPI em parceria com o IDIS

O Instituto AIPI, mantido pela International Paper, promoveu um edital para selecionar cinco organizações com projetos voltados à Educação com Cidadania, em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) e apoio da marca Chamex. Os cinco projetos vencedores receberão até R$ 30 mil cada para a sua implementação e execução. A iniciativa tem como objetivo estimular o exercício da cidadania e promover um papel mais proativo na área da educação.

As organizações vencedoras foram: Associação Junior Achievement Pernambuco, com o “Programa Liderança Comunitária”; Mobis, com o projeto “Jornada do Educador da Cidadania”; Aldeias Infantis SOS Brasil, com o projeto “Jornada de Educação: Brincando com os ODS”; Associação Educacional Evangélica Luterana – AEEL, com o projeto “Cidadania e Água limpa: direito de todos”; Associação de Moradores do Barro Vermelho e Santa Luíza (AMBVSL), com o projeto “Disseminar a prática do descarte consciente dos resíduos domiciliares”. Os projetos são oriundos das cidades de Recife (PE), Porto Alegre (RS) (2), Teófilo Otoni (MG) e Vitória (ES), respectivamente.

Os recursos serão utilizados para implementar ações que, por meio da educação, possam estimular o exercício da cidadania ativa e despertar a consciência crítica e a criatividade necessárias para articular e mobilizar as pessoas em ações sociais transformadoras.

“Acreditamos na educação como instrumento de transformação da sociedade, esse é o nosso papel. Selecionamos com muito cuidados os projetos para estimular cada vez mais a formação de cidadãos ativos e engajados”, afirma Mariana Claudio, gerente executiva do Instituto AIPI.

O Instituto AIPI foca seus esforços em dois pilares principais: “despertar a cidadania, oferecendo formas, conteúdos e capacitação para as escolas e centros de formação para que trabalhem temas que despertem a proatividade e a responsabilidade da cidadania nas pessoas; e “gerar transformação”, identificando, selecionando e capacitando pessoas e instituições com potencial para impulsionar seus projetos de impacto social nas comunidades das quais a empresa faz parte.

 

Sobre os projetos

 

Programa Liderança Comunitária – Recife

O Programa Liderança Comunitária proporciona aos estudantes a experiência da criação e operação de uma organização comunitária. Os estudantes analisam a situação da comunidade local, identificam um aspecto a ser melhorado, constituem uma organização, elaboram um projeto de serviço comunitário e praticam a liderança.

 

Jornada do Educador da Cidadania: uma formação para educadores que querem levar a cidadania ativa para os seus estudantes – Porto Alegre

Projeto realizado virtualmente, aberto a educadores das redes públicas e privadas de todo país. Até 30 educadores são selecionados para uma formação em cidadania ativa com especialistas. Ao longo de uma semana, são realizadas atividades teóricas e práticas, nas quais os educadores adquirem conhecimentos, trocam experiências e desenvolvem práticas pedagógicas para despertar a cidadania ativa em seus alunos.

 

Jornada de Educação: Brincando com os ODS – Porto Alegre

Tem como público-alvo os professores da rede pública e colaboradores de OSCs. O objetivo é capacitar participantes nos 17 ODSs (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU; disponibilizar acesso à formação EAD na metodologia desenvolvida em parceria com o Instituto Maurício de Sousa (que conta com 18 gibis da Turma da Mônica sobre temas como fome, saúde, gênero, meio ambiente e outras agendas relevantes) e disponibilizar kits de Gibis às escolas e organizações locais dos municípios alcançados pela Organização.

 

Cidadania e Água limpa: direito de todos – Teófilo Otoni

O projeto prevê a criação coletiva de metodologia para a promoção da boa gestão da água no município. Crianças, adolescentes, jovens, educadores, lideranças, usuários e trabalhadores da assistência social serão mobilizados para criar material de divulgação (material impresso, banners e sites) com informações sobre o tema, sugerir oficinas e formar uma rede de proteção aos recursos hídricos.

 

Disseminar a prática do descarte consciente dos resíduos domiciliares – Vitória

O projeto se propõe a capacitar moradores do Barro Vermelho e Santa Luíza (onde a coleta seletiva alcança apenas 5% das residências) para gerenciamento de resíduos sólidos e do uso adequado do serviço de Coleta Seletiva. Serão realizadas ações educativas e informativas para administradores, moradores e crianças, da seguinte forma: 2.000 inscrições em jogo para engajamento, 120 inscrições em 8 oficinas para formação de agentes multiplicadores da prática; 75 inscrições em 5 palestras sobre gerenciamento de resíduos domiciliares especiais, além da distribuição de encartes e mídia social com conteúdo sobre destinação ambientalmente correta.

Como melhorar a gestão de ONGS na pandemia e depois? Confira 6 dicas!

Por Felipe Insunza Groba, Gerente de Projetos do IDIS

Nesse momento de pandemia e crise econômica, muitas Organizações da Sociedade Civil (OSCs) têm sofrido com a interrupção de suas atividades, falta de recursos e necessidades ainda maiores por parte de seus beneficiários.

Ao mesmo tempo, o crescente desemprego e demandas da saúde pública alavancaram as doações por empresas e famílias ao nível mais alto da história do Brasil, alcançando R$ 5,5 bilhões  somente para campanhas voltadas ao combate das consequências diretas e indiretas do Covid-19, com mais de 371 mil doadores de acordo com os dados do  Monitor das Doações da ABCR até o começo de junho.

Apesar da urgência, editais emergenciais como os lançados pelo Itaú Social (“Comunidade, presente!”) e pela Vale (“Desafio Covid-19”) adotam critérios de elegibilidade para as aplicações que vão da apresentação de documentos fiscais e legais a boas práticas de governança e finanças saneadas.

Com o objetivo de auxiliar as OSCs no diagnóstico de sua resiliência perante essa crise, e também na captação de recursos durante e após a pandemia, preparamos um checklist de documentos e indicadores para orientar os gestores das organizações. A seguir, falamos de cada uma dessas orientações.

Documentos Legais e Certidões de Débito

O processo de validação das organizações por financiadores (empresas, famílias e governos) trata de checar a conformidade das entidades com suas obrigações financeiras e regulatórias, sendo usualmente feito antes da formalização de doações, de modo a evitar riscos reputacionais ou o descumprimento do desejo do doador, com o uso dos recursos para saldar dívidas e passivos pré-existentes. Para gestores e captadores, é importante ter os seguintes documentos regularizados: CNPJ, CND – Certidão Negativa de Crédito, CNDT – Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas, Certificado de Regularidade do FGTS, CTI – Certidão Tributária Imobiliária, e outros de âmbito regional aplicáveis. Além da captação de recursos junto a doadores, esses documentos são fundamentais para a tomada de empréstimos de capital de giro ou para investimentos, imprescindíveis para a sobrevivência de muitas OSCs em momentos de crise como a pandemia atual.

Demonstrações Contábeis

Seja para a captação de recursos e prestação de contas, seja para a gestão, é importante manter atualizadas as Demonstrações de Resultado, o Balanço Patrimonial e as razões contábeis mensais da organização, de modo a acompanhar a evolução dos indicadores de receita, custos fixos, despesas variáveis e solvência (passivos tributários e trabalhistas devem estar claros e estimados). A existência de um profissional dedicado às finanças da organização e a contratação de escritório de contabilidade externo são importantes investimentos de gestão e transparência de uma organização. Os passos seguintes no processo de maturidade de uma organização (e cada vez mais exigidos por financiadores e órgão reguladores) são a realização de auditoria externa das demonstrações financeiras e a contabilização de gratuidades e de trabalhos voluntários.

Fundos de Reserva e Stress Tests

Quantos meses duraria sua organização sem receber novas doações? Essa pergunta hipotética foi colocada concretamente à prova para muitas organizações durante a atual crise. A existência de fundos de reserva (ou de contingência) e uma clareza sobre os custos fixos da organização são fundamentais em momentos de estresse. O gestor deve aproveitar tempos de sobra de caixa e fartura, para reservar recursos para períodos de escassez, podendo enfrentar – pelo menos – 3 meses sem receber recursos. No caso de organizações com dependência de recursos governamentais, recomenda-se folga ainda maior (acima de 12 meses), de modo a lidar com incertezas políticas e contingenciamento de recursos públicos. Além disso, é importante simular cenários com possibilidades de estresse (stress tests) para as variáveis sensíveis de sua organização, como a perda de processos trabalhistas, um aumento de despesa por conta da alta do dólar ou mesmo uma queda permanente na captação de recursos.

Monitoramento de Processos e Resultados

A maioria dos investidores sociais exige a apresentação de relatórios sobre os projetos financiados. Para isso, é importante que sua organização possua um cadastro dos beneficiários (respeitando a LGPD), registre as atividades realizadas e seus resultados, como número de participantes e índice de satisfação. Com o tempo, muitos investidores demandarão medidas mais efetivas de impacto, como estudos demonstrando as transformações geradas pelos projetos da sua organização na vida dos beneficiários (ex.: rendimento escolar, ganho de peso, diminuição de adição a drogas, índice de cura em hospitais, etc.).

Indicadores de Eficiência

Nos EUA, onde o terceiro setor representa mais de 5% do PIB, existem Charity Watches responsáveis por ranquear organizações segundo alguns indicadores de eficiência quanto a captação (ex.: razão entre receita e custo de captação) e despesas com projetos (ex.: razão entre despesas com projetos e despesas totais), auxiliando doadores na tomada de decisão dentro de um mesmo segmento. Você pode comparar os indicadores de sua organizações com os benchmarks/referências considerados pela Charity Navigator e pela Charity Watch.

Governança e Conselheiros independentes

Por último, mas não menos importante, está a governança. Muitas organizações nascem de iniciativas pessoais e do trabalho voluntário e dedicado de seus fundadores. No entanto, visando à perenidade e profissionalização da organização, surge a necessidade da contratação de executivos, da instituição de regras claras para o controle dos recursos e mecanismos de deliberação (regulamentos internos), e de instâncias consultivas, deliberativas e fiscalizadoras (conselhos), que zelem pelos valores e finanças da organização no curto e longo prazo. Nesse sentido, a eleição de Conselheiros Independentes – fora do círculo pessoal direto do fundador e/ou do principal executivo – com voz e voto em decisões estratégicas é fundamental como sinalização para investidores sociais. No zelo pela independência de interesses pessoais eventualmente escusos, sugere-se também que no Estatuto Social (ou em regimento interno) constem regras claras quanto a conflitos de interesses e limites ao exercício de funções estratégicas como a de Diretor Executivo e/ou de Presidente do Conselho Deliberativo.

Caso sua organização não cumpra algum dos critérios acima, pode ser o momento de uma guinada estruturante. Essa transformação deverá envolver os gestores e o Conselho da organização, podendo contar com o trabalho de consultorias, com a renegociação de termos e restrições com doadores e bancos credores ou até mesmo com a sondagem a organizações similares para eventual processo de fusão, quando for possível encontrar sinergias entre as atuações.

Se a sua organização passou no diagnóstico de resiliência, parabéns! Mas o trabalho não acaba por aí. É importante manter-se vigilante e dar os próximos passos para a maturidade da organização, seu contínuo processo de profissionalização e – quando for o caso – de expansão.

Mas esse será assunto para um próximo artigo.

Confira o Guia de Gestão de Pessoas no Tereiro Setor, disponível aquiGuia_Gestão_Pessoas_terceiro_Setor

IDIS e Instituto AIPI lançam edital para projetos na área da Educação

O Instituto AIPI, mantido pela International Paper, em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), abre inscrições para o edital de captação de projetos, com o objetivo de estimular o exercício da cidadania e promover um papel mais proativo e responsável de cada um. Serão selecionadas cinco organizações com projetos voltados à Educação com Cidadania e os interessados devem se inscrever pelo site institutoaipi.com.br até o dia 5 de março de 2021.

O processo de seleção tem abrangência nacional e as instituições selecionadas receberão o valor de até R$ 30 mil para a implementação e execução dos projetos, que devem ser concluídos em 8 meses.

O edital Educação com Cidadania do Instituto AIPI contemplará as seguintes etapas:

ETAPA 1: inscrição das organizações no processo seletivo mediante envio de documentos;

ETAPA 2: envio dos projetos das organizações aprovadas na 1ª etapa;

ETAPA 3: triagem;

ETAPA 4: seleção de projetos com aprovação de banca avaliadora para os finalistas;

ETAPA 5: efetivação do repasse, acompanhamento da execução dos projetos e relatório de conclusão com apresentação de resultados.

Os recursos deverão ser utilizados para implementar ações que por meio da educação possam estimular o exercício da cidadania ativa e despertar a consciência crítica e a criatividade necessárias para articular e mobilizar as pessoas em ações sociais transformadoras.

“Acreditamos na educação como instrumento de transformação da sociedade. Por isso, estamos em busca de projetos que estejam alinhados com o nosso propósito de estimular cada vez mais a formação de cidadãos ativos”, afirma Tamara Natale, gerente executiva do Instituto AIPI.

O  Instituto AIPI  foca seus esforços em dois pilares principais: “despertar a cidadania”, oferecendo formas, conteúdos e capacitação para as escolas e centros de formação para que trabalhem temas que despertem a proatividade e a responsabilidade da cidadania nas pessoas; e “gerar transformação”, identificando, selecionando e capacitando pessoas com potencial para impulsionar seus projetos de transformação social nas comunidades em que a empresa atua.

As inscrições vão até 5 de março e podem ser feitas pelo site institutoaipi.com.br.

Diagnóstico de Resiliência: 6 indicadores para auxiliar gestores de OSCs durante e após a pandemia

Por Felipe Insunza Groba, Gerente de Projetos do IDIS

Nesse momento de pandemia e crise econômica, muitas Organizações da Sociedade Civil (OSCs) têm sofrido com a interrupção de suas atividades, falta de recursos e necessidades ainda maiores por parte de seus beneficiários.

Ao mesmo tempo, o crescente desemprego e demandas da saúde pública alavancaram as doações por empresas e famílias ao nível mais alto da história do Brasil, alcançando R$ 5,5 bilhões  somente para campanhas voltadas ao combate das consequências diretas e indiretas do Covid-19, com mais de 371 mil doadores de acordo com os dados do  Monitor das Doações da ABCR até o começo de junho.

Apesar da urgência, editais emergenciais como os lançados pelo Itaú Social (“Comunidade, presente!”) e pela Vale (“Desafio Covid-19”) adotam critérios de elegibilidade para as aplicações que vão da apresentação de documentos fiscais e legais a boas práticas de governança e finanças saneadas.

Com o objetivo de auxiliar as OSCs no diagnóstico de sua resiliência perante essa crise, e também na captação de recursos durante e após a pandemia, preparamos um checklist de documentos e indicadores para orientar os gestores das organizações. A seguir, falamos de cada uma dessas orientações.

Documentos Legais e Certidões de Débito

O processo de validação das organizações por financiadores (empresas, famílias e governos) trata de checar a conformidade das entidades com suas obrigações financeiras e regulatórias, sendo usualmente feito antes da formalização de doações, de modo a evitar riscos reputacionais ou o descumprimento do desejo do doador, com o uso dos recursos para saldar dívidas e passivos pré-existentes. Para gestores e captadores, é importante ter os seguintes documentos regularizados: CNPJ, CND – Certidão Negativa de Crédito, CNDT – Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas, Certificado de Regularidade do FGTS, CTI – Certidão Tributária Imobiliária, e outros de âmbito regional aplicáveis. Além da captação de recursos junto a doadores, esses documentos são fundamentais para a tomada de empréstimos de capital de giro ou para investimentos, imprescindíveis para a sobrevivência de muitas OSCs em momentos de crise como a pandemia atual.

Demonstrações Contábeis

Seja para a captação de recursos e prestação de contas, seja para a gestão, é importante manter atualizadas as Demonstrações de Resultado, o Balanço Patrimonial e as razões contábeis mensais da organização, de modo a acompanhar a evolução dos indicadores de receita, custos fixos, despesas variáveis e solvência (passivos tributários e trabalhistas devem estar claros e estimados). A existência de um profissional dedicado às finanças da organização e a contratação de escritório de contabilidade externo são importantes investimentos de gestão e transparência de uma organização. Os passos seguintes no processo de maturidade de uma organização (e cada vez mais exigidos por financiadores e órgão reguladores) são a realização de auditoria externa das demonstrações financeiras e a contabilização de gratuidades e de trabalhos voluntários.

Fundos de Reserva e Stress Tests

Quantos meses duraria sua organização sem receber novas doações? Essa pergunta hipotética foi colocada concretamente à prova para muitas organizações durante a atual crise. A existência de fundos de reserva (ou de contingência) e uma clareza sobre os custos fixos da organização são fundamentais em momentos de estresse. O gestor deve aproveitar tempos de sobra de caixa e fartura, para reservar recursos para períodos de escassez, podendo enfrentar – pelo menos – 3 meses sem receber recursos. No caso de organizações com dependência de recursos governamentais, recomenda-se folga ainda maior (acima de 12 meses), de modo a lidar com incertezas políticas e contingenciamento de recursos públicos. Além disso, é importante simular cenários com possibilidades de estresse (stress tests) para as variáveis sensíveis de sua organização, como a perda de processos trabalhistas, um aumento de despesa por conta da alta do dólar ou mesmo uma queda permanente na captação de recursos.

Monitoramento de Processos e Resultados

A maioria dos investidores sociais exige a apresentação de relatórios sobre os projetos financiados. Para isso, é importante que sua organização possua um cadastro dos beneficiários (respeitando a LGPD), registre as atividades realizadas e seus resultados, como número de participantes e índice de satisfação. Com o tempo, muitos investidores demandarão medidas mais efetivas de impacto, como estudos demonstrando as transformações geradas pelos projetos da sua organização na vida dos beneficiários (ex.: rendimento escolar, ganho de peso, diminuição de adição a drogas, índice de cura em hospitais, etc.).

Indicadores de Eficiência

Nos EUA, onde o terceiro setor representa mais de 5% do PIB, existem Charity Watches responsáveis por ranquear organizações segundo alguns indicadores de eficiência quanto a captação (ex.: razão entre receita e custo de captação) e despesas com projetos (ex.: razão entre despesas com projetos e despesas totais), auxiliando doadores na tomada de decisão dentro de um mesmo segmento. Você pode comparar os indicadores de sua organizações com os benchmarks/referências considerados pela Charity Navigator e pela Charity Watch.

Governança e Conselheiros independentes

Por último, mas não menos importante, está a governança. Muitas organizações nascem de iniciativas pessoais e do trabalho voluntário e dedicado de seus fundadores. No entanto, visando à perenidade e profissionalização da organização, surge a necessidade da contratação de executivos, da instituição de regras claras para o controle dos recursos e mecanismos de deliberação (regulamentos internos), e de instâncias consultivas, deliberativas e fiscalizadoras (conselhos), que zelem pelos valores e finanças da organização no curto e longo prazo. Nesse sentido, a eleição de Conselheiros Independentes – fora do círculo pessoal direto do fundador e/ou do principal executivo – com voz e voto em decisões estratégicas é fundamental como sinalização para investidores sociais. No zelo pela independência de interesses pessoais eventualmente escusos, sugere-se também que no Estatuto Social (ou em regimento interno) constem regras claras quanto a conflitos de interesses e limites ao exercício de funções estratégicas como a de Diretor Executivo e/ou de Presidente do Conselho Deliberativo.Este é um tema que o IDIS sempre discute e produziu vários materiais que estão no nosso site: www.idis.org.br.

Caso sua organização não cumpra algum dos critérios acima, pode ser o momento de uma guinada estruturante. Essa transformação deverá envolver os gestores e o Conselho da organização, podendo contar com o trabalho de consultorias, com a renegociação de termos e restrições com doadores e bancos credores ou até mesmo com a sondagem a organizações similares para eventual processo de fusão, quando for possível encontrar sinergias entre as atuações.

Se a sua organização passou no diagnóstico de resiliência, parabéns! Mas o trabalho não acaba por aí. É importante manter-se vigilante e dar os próximos passos para a maturidade da organização, seu contínuo processo de profissionalização e – quando for o caso – de expansão.

Mas esse será assunto para um próximo artigo.