Vale

Estações Conhecimento Serra e Arari
As estações Conhecimento Serra, no estado do Espírito Santo, e Arari, no estado do Maranhão, são mantidas pela Fundação Vale desde 2011. Oferecem no contraturno escolar atividades de esporte educacional, letramento numérico e digital, cultura, entre outras, além de serviços de saúde, atuando de forma integral para contribuir com o desenvolvimento das crianças e adolescentes dos municípios em que estão presentes.

Na avaliação realizada pelo IDIS, os resultados revelaram que as atividades e experiências vivenciadas pelos beneficiários contribuíram positivamente para o desenvolvimento educacional, pessoal, fortalecimento das relações interpessoais e coletivas e ampliação dos cuidados com a saúde. Por também oferecerem atividades para os familiares dos alunos e comunidade do entorno, as Estações Conhecimento impactaram na maior participação dos pais e responsáveis na vida das crianças e adolescentes e, também nas perspectivas de ingresso ao mercado de trabalho, ao oferecerem oficinas profissionalizantes.

 

Incentivo Produtivo de Milho Juazeiro
Desenvolvido no Pará, com o apoio da mineradora Vale, o projeto Incentivo Produtivo de Milho Juazeiro integra produtores rurais participantes da APRANE – Associação dos Pequenos Produtores do Acampamento Nova Esperança. Por meio da aquisição de insumos produtivos, contratação de assistência técnica e maquinário, os produtores rurais tiveram incremento de renda, que é a principal meta do projeto. Com a maior capacidade gerencial e técnica, a qualidade do produto oferecido fez com que a comunidade fosse reconhecida em outras localidades, contribuindo para que se sentissem mais orgulhosos da profissão exercida.

Além de reunir evidências sobre os impactos sociais gerados, os estudos também apontaram oportunidades de melhoria e recomendações para que os projetos ampliem o poder de transformação.

 

Ciranda da Educação Vila Conceição
Apoiado pela Vale, em uma parceria com a ACIB – Associação Comunitária Itaqui-Bacanga e a União dos Moradores da Vila Conceição, no estado do Maranhão, o Projeto Ciranda da Educação Vila Conceição promove o desenvolvimento educacional e o fortalecimento das ações comunitárias gerando autonomia e tornando a comunidade um agente de mudanças no território. O foco no desenvolvimento comunitário e o fortalecimento o de uma rede local de apoio a crianças, adolescentes e suas famílias. Além do atendimento direito aos meninos e meninas, pais e ou responsáveis dos alunos, promove reuniões de acompanhamento e alinhamento, oficinas com participação de órgãos públicos, de forma a facilitar o acesso aos serviços essenciais de assistência e saúde e atividades externas culturais.

Foi constatado, após estudo realizado pelo IDIS, que o projeto impacta positivamente o desenvolvimento educacional, sociabilidade, senso de coletividade e fortalecimento dos vínculos parentais entre crianças, adolescentes e as mães dos participantes. O relatório também mostrou o impacto nas educadoras sociais do Projeto, com destaque para o desenvolvimento pedagógico. Por meio da condução do estudo, foi constatado que o projeto atinge o objetivo de promover o desenvolvimento educacional e o fortalecimento das ações comunitárias, gerando autonomia e tornando a comunidade um agente de mudanças no território.

 

Demarest

Com mais de 70 anos no mercado e uma equipe de 600 profissionais, o Demarest é um dos escritórios de advocacia mais respeitados do Brasil e da América Latina. Tem tradição em ações de responsabilidade social, oferecimento de serviços pro bono junto a organizações da sociedade civil e, mais recentemente, tem atividades cada vez mais estruturadas voltadas à diversidade & inclusão.  Esporadicamente, promovia ações de mobilização do público interno em campanhas de doação de livros ou alimentos, ou voluntariado pontual, e tinha o desejo de dar um passo à diante.

Ao longo de um ano, contou com o IDIS para o mapeamento das causas de seus profissionais e oferecimento de oportunidades para atuação conectadas ao seu perfil. Foi feita uma customização da plataforma Descubra sua Causa. A partir de um teste, cada um tinha como resultado a identificação da causa que o representa. A partir daí, quem tivesse afinidade com meio ambiente, por exemplo, receberia recomendações pré-selecionas de organizações que defendiam a causa ambiental e para as quais poderiam fazer doações ou realizar trabalhos voluntários.

Unesp

Mantida pelo Governo de São Paulo, a Unesp (Universidade Estadual Paulista) é uma das três universidades públicas de ensino gratuito do Estado, ao lado da USP (Universidade de São Paulo) e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Grande parte dos recursos do orçamento de R$ 2,9 bilhões (base 2019) é proveniente de repasses da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. As despesas correntes da Universidade consomem quase que a totalidade dos recursos recebidos, deixando pouco espaço para o desenvolvimento de novos projetos e investimentos.

Visando a diversificação das fontes de recursos para assegurar o cumprimento de sua missão institucional, em setembro de 2019, foi aprovada pelo Conselho Universitário da Unesp a Resolução Nº 61/19, que “autoriza a Universidade Estadual Paulista ‘Júlio de Mesquita Filho’ a criar Fundo Patrimonial nos moldes da Lei Federal nº 13.800/2019.” No final daquele mesmo ano, o IDIS foi contratado para apoiar a Unesp na estruturação de um fundo patrimonial filantrópico.

O trabalho do IDIS, realizado em parceria com o escritório PLKC Advogados, envolveu a definição das diretrizes institucionais do fundo patrimonial, incluindo a governança da organização gestora de fundo patrimonial, a elaboração de minutas sugeridas para os principais instrumentos societários e contratuais dessa organização e a construção de proposta para o conjunto de políticas e manuais operacionais necessários ao início de suas atividades.

Dando início à formalização do endowment da Universidade Estadual Paulista (Unesp), a associação gestora do fundo patrimonial foi estabelecida em assembleia virtual. A Associação Prospera Unesp — Fundo Patrimonial será responsável pela gestão do endowment da instituição de ensino e atuará como instituição de caráter autônomo e sem fins lucrativos, com a finalidade de constituir fonte de recursos para, no futuro, utilizar seus rendimentos exclusivamente em benefício da universidade.

Os recursos do fundo patrimonial poderão ser utilizados em projetos da universidade de caráter científico, cultural, de inovação tecnológica, empreendedorismo e desenvolvimento social, entre outras finalidades.

A assembleia contou com a presença do reitor da universidade, Pasqual Barretti, e dos demais integrantes do grupo de trabalho que tem conduzido o projeto desde 2019. Desde então o IDIS tem apoiado a Unesp na estruturação do fundo patrimonial da instituição de ensino de acordo com a Lei 13.800/2019 e também no engajamento de atores na governança. “Tenho grande expectativa quanto ao sucesso desta associação que, tenho certeza, vai contribuir para a grandeza da nossa universidade”, acredita Barretti.

Seguindo recomendações do IDIS sobre governança, será eleito um comitê técnico, composto por 5 membros; um conselho fiscal de 3 membros; e um comitê de investimentos de 3 ou 5 membros para realizar a gestão dos recursos. “O Fundo Patrimonial Prospera nasce com a participação ativa da Unesp e de representantes da sociedade civil (egressos, empresas e pessoas físicas parceiras). Essa diversidade na composição da governança da organização gestora do fundo patrimonial é crucial para a perenidade do fundo, em cujo futuro vislumbramos muito sucesso e conquistas”, destaca Andrea Hanai, gerente de projetos do IDIS que acompanhou o projeto desde o início.

Assim que criado, a Unesp junta-se a instituições brasileiras de ensino que adotaram fundos patrimoniais como um método de sustentabilidade financeira, entre elas USP e Unicamp. Fora do Brasil, este mecanismo é popular, sendo adotado por universidades como Harvard, Yale, Oxford e Cambridge.

ICE – Instituto de Cidadania Empresarial

O ICE – Instituto de Cidadania Empresarial –, em convênio com o BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, contratou o IDIS, por meio de edital, para realizar a avaliação do seu projeto de Promoção do Ecossistema de Investimento e Negócios de Impacto Socioambiental no Brasil. O estudo foi conduzido em duas etapas, de modo que sua análise parcial aconteceu entre abril e outubro de 2019, e a análise final ocorreu entre junho e setembro de 2020.

O objetivo geral do projeto avaliado é “promover a criação e o crescimento sustentável de negócios de impacto social capazes de desenvolver e escalar inovações focadas em resolver problemas sociais e ambientais, por meio da aceleração do desenvolvimento do ecossistema emergente de Investimento e Negócios de Impacto no Brasil”.

Para atingir este objetivo, o projeto possui 4 componentes de ação: (i) Programa Academia; (ii) Aliança pelos Investimentos e Negócios de Impacto; (iii) Programa de Aceleração e Incubação de Impacto; (iv) Chamada de capital semente ICE-BID.

O processo de avaliação em duas etapas e mostrou que a as intervenções geridas pelo ICE contribuíram para avanços fundamentais na visibilidade e prioridade do tema em diversas esferas e segmentos do País, na sistematização e disseminação de conhecimento sobre o setor e no fortalecimento da liderança, autonomia e capacidade técnica dos diversos atores envolvidos. Além da expansão numérica de atores
nos programas, entre a fase intermediária e final da avaliação, foram percebidos esforços para a ampliação do debate e do interesse de capacitar tecnicamente as equipes envolvidas. Foram realizadas novas atividades e discussões para lidar com desafios passados e, naturalmente, novas percepções e demandas foram apresentadas com o intuito de desenvolver cada vez mais a atuação e ações dos programas.

O relatório completo está disponível no site do IDIS. 

 

FASA – Fundação Antônio dos Santos Abranches

A Fundação Antônio dos Santos Abranches – FASA – é uma instituição sem fins lucrativos, com sede em Recife, que tem como objetivo o desenvolvimento da educação, assistência social e cultura por meio de trabalhos e incentivos no campo tecnológico-educacional, das pesquisas científicas e técnicas. A Fundação está vinculada à Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP), atuando como organização de apoio à universidade no que concerne as suas ações e projetos.

Em 2020, a organização contou com o apoio técnico do IDIS para a realização de um estudo de benchmarking com foco no mapeamento de estratégias de atuação e de investimento social privado por organizações de referência no Brasil e no mundo. O projeto teve como propósito inspirar novas possibilidades de atuação para a FASA, além de apresentar metodologias e boas práticas para a seleção e monitoramento de projetos.

Ao longo do estudo, foram analisas 16 instituições nacionais e internacionais, entre fundações de apoio a universidades públicas, filantrópicas e privadas, organizações da sociedade civil ligadas a projetos universitários, além de institutos empresariais e familiares com atuação nos campos da cultura e educação.

Musicarium

O Musicarium nasceu como um projeto do Instituto Core, localizado em Joinville (SC). Dedicado à formação profissional de musicistas de excelência, o Musicarium tem como objetivo “desenvolver talentos a partir dos 4 anos de idade, formando profissionais de alta performance para integrar três orquestras: Infantojuvenil (2019), Jovem (2025) e Filarmônica Profissional (2030)”.

Para acelerar o processo de desenvolvimento pedagógico e artístico dos alunos, a maior parte deles estudantes da rede pública, o Musicarium concebeu um ambicioso plano para a construção de uma Academia de Música e um Concert Hall, dentro dos melhores padrões internacionais de arquitetura e acústica. Esse plano envolve também a viabilização da auto sustentabilidade financeira das estruturas, a partir de recursos provenientes de um fundo patrimonial filantrópico. Assim, em 2019 contratou o IDIS para apoiar na estruturação desse fundo.

Durante a etapa de definição das diretrizes do fundo patrimonial, foi consenso entre as lideranças do Instituto Core que o projeto deveria adotar identidade própria para possibilitar a concretização dos ambiciosos planos. Dessa forma, deliberaram pela criação de uma nova organização sem fins lucrativos, o Musicarium Academia Filarmônica Brasileira.

A necessidade de consolidação institucional dessa nova organização postergou o processo de estruturação do fundo patrimonial do Musicarium e o IDIS também foi envolvido nesta consolidação com a elaboração do Manual de Governança, Código de Ética e Conduta e Política de Conflito de Interesses e Política de Aceitação de Doações
do Musicarium, documentos cruciais para o fortalecimento das bases institucionais da nova organização.

Em breve seremos uma das primeiras instituições na área artística/cultural a implantar o endowment. Creio ser um caminho extraordinário para a sustentabilidade financeira, sobretudo a longo prazo para as instituições culturais. Ao mesmo tempo, tenho falado a diversos segmentos da sociedade, sobre a importância da regulamentação da Lei 13.800.
Sergio Ogawa
Diretor presidente do Musicarium

Instituto Sicoob

O Instituto Sicoob foi criado em 2004, pela cooperativa Sicoob Metropolitano na cidade de Maringá – PR, com o objetivo de difundir a cultura cooperativista e contribuir para a promoção do desenvolvimento sustentável das comunidades. Em 2009 começou a expandir sua atuação para todo o estado do Paraná até que em 2015 passaram a atuar também nos estados do Amapá e Pará. Atualmente, estão em todos os estados do território nacional e no distrito federal.

O Instituto desenvolve e apoia programas e projetos dentro de três eixos temáticos: Cooperativismo e Empreendedorismo; Cidadania Financeira; e Desenvolvimento Sustentável. Uma das iniciativas desenvolvidas pelo Instituto é o Programa Cooperativa Mirim, que acontece a partir da parceria entre Instituto Sicoob, Cooperativas Sicoob e instituições de ensino.

Uma Cooperativa Mirim é uma associação de alunos que, sob orientação de um professor orientador, se unem voluntariamente visando satisfazer aspirações e necessidades econômicas, sociais e culturais comuns, por meio da vivência e prática do Cooperativismo. As cooperativas são dirigidas e coordenadas pelos próprios educandos/alunos da instituição de ensino ou instituição social.

Neste contexto, o IDIS foi contratado para apoiar o Instituto Sicoob na análise desses investimentos afim de realizar a avaliação de impacto da iniciativa. Após feito o estudo através da metodologia do SROI (Retorno sobre Investimento Social), descobriu-se que a cada R$1 real investido no Programa Cooperativa Mirim nos estados do Paraná e Pará – locais onde foram realizados os estudos – é criado R$ 1,68 em valor social, demonstrando, assim, a grande contribuição do Programa na vida dos cooperados mirins e professores orientadores nos estados do Paraná e Pará.

O que é SROI?

O ‘SROI – Social Return on Investment, ou Retorno Social sobre Investimento, é um protocolo de avaliação que propõe uma análise comparativa entre o valor dos recursos investidos em um projeto ou programa e o valor social gerado para a sociedade com essa iniciativa. Para isso, aplica diversas técnicas para estimar o valor intangível de ativos que não podem ser comprados ou vendidos.

Ele é uma ferramenta poderosa de mensuração, que transcende a monetarização do impacto social. Ainda que a relação custo-benefício (ou retorno sobre o investimento) seja o que geralmente atrai a atenção dos investidores sociais, que veem a possibilidade de uma avaliação objetiva e financeira sobre o uso de seus recursos, este processo não deve ser considerado somente um índice. Cada uma de suas etapas é capaz de revelar informações pertinentes sobre o projeto ou programa e gerar insights que favorecem a tomada de decisão e a busca por impactos cada vez maiores e mais consistentes.

Gerdau

A Gerdau é uma multinacional brasileira com mais de 120 anos de existência e que está passando por um processo de transformação cultural em diversos setores. Um deles diz respeito à sua estratégia de sustentabilidade empresarial e ESG, nos quais os Comitês do Instituto Gerdau têm um papel fundamental na implementação local das ações de investimento social privado, voluntariado corporativo e relacionamento com a comunidade.

Pensando em contribuir com esse processo de transformação dos Comitês, a Gerdau contratou o IDIS para a missão de conceber e realizar um Workshop sob medida para os membros desses Comitês, garantindo um alinhamento de boas práticas e de conhecimentos teóricos em suas áreas de atuação. E, com a capacitação, trazer elementos e insights para uma alocação ainda mais eficiente dos recursos e esforços da empresa em sua busca por maior impacto social local.

O Workshop foi realizado de forma presencial com um dia inteiro de duração para um grupo de 23 pessoas dos Comitês na sede do INTELI, faculdade de tecnologia recentemente criada na cidade de São Paulo e que tem a Gerdau como uma de suas principais apoiadoras.

Com a atividade, os membros dos Comitês do Instituto Gerdau foram capacitados para compreender os principais conceitos de sustentabilidade, ESG, Responsabilidade Social Corporativa, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Investimento Social Privado, voluntariado e relacionamento com a comunidade. Isso tudo, além de perceberem como a estratégia de sustentabilidade da Gerdau se conecta com os Comitês do Instituto Gerdau.

“O conteúdo, as dinâmicas e trocas foram muito importantes pois muitas vezes não conseguimos ter um tempo só para conhecer mais esse processo de Responsabilidade Social Corporativa. Mas, depois desse treinamento, tive vários insights de que minha missão na Gerdau é essa”, relatou uma colaboradora da Gerdau participante do Workshop.

Parceiros da Educação

Fundada em 2004, a Parceiros da Educação é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) sem fins lucrativos, que tem como visão elevar a qualidade da Educação Pública Paulista para o nível das melhores redes de tamanho comparável na América Latina até 2031.

Sua missão é promover maior envolvimento da sociedade civil na melhoria da educação pública brasileira por meio de parcerias com escolas e secretarias estadual e municipais, com o objetivo de proporcionar uma formação integral de qualidade aos estudantes, valorizar os educadores da rede pública e contribuir para as políticas públicas educacionais

Para alcançar seu objetivo, a organização trabalha em duas frentes: parcerias com escolas, redes municipais e diretorias de ensino, de um lado, e contribuição com políticas públicas prioritárias, de outro. Os principais pilares de atuação são o pedagógico e o de gestão, tendo atuação também nos pilares de engajamento comunitário e infraestrutura, principalmente dos espaços pedagógicos.

Para isso, o IDIS utilizou a metodologia do SROI (Social Return on Investment ou, Retorno Social do Investimento, em português), que envolve a monetização dos impactos para cálculo do retorno para a sociedade. A avaliação realizada para o Programa de Parcerias da Parceiros da Educação demonstrou que a cada R$ 1,00 investido no Programa de Parcerias com Escolas Públicas Estaduais mais as Redes
Municipais de Educação, R$3,80 são gerados na forma de benefício para a sociedade.

 

O estudo estimou que o valor social gerado pelo Programa de Parcerias com Escolas Públicas Estaduais e Redes Municipais de Educação, dentro do período de 2015 a 2019, foi de cerca de R$189 milhões, sendo 78% deste valor correspondente às transformações de maior aprendizagem vivenciada por estudantes, 14% às mudanças percebidas por professores e 8% aos impactos em gestores escolares

Os resultados justificam e dão impulso à recente estratégia da organização de dar “mais um salto de escalabilidade” com seu apoio às Diretorias de Ensino (que agregam até 106 escolas cada), dado que o programa de Redes Municipais retorna R$ 7,17 a cada real investido.

Além do SROI final, o projeto ofereceu orientações bem como sugestões de caminhos possíveis para que a organização possa aumentar cada vez mais o seu impacto e explorar os seus potenciais.

“O processo de obtenção do SROI nos permitiu entender em detalhes como a Parceiros provoca as mudanças nas escolas e redes municipais, sob o ponto de vista dos próprios educadores e dos resultados de aprendizagem dos alunos, nosso principal objetivo.

Quantificar o impacto dos programas validou a metodologia utilizada e deu insumos para decisões futuras, como a de expandir o programa para redes municipais, que apresentaram o impressionante retorno de R$ 7,17 para cada real investido, e diretorias de ensino, em que esperamos ter resultados muito parecidos dada a similaridade de atuação.”, comenta Rafael Machiaverni, Diretor Geral da Associação Parceiros da Educação.

Instituto Chamex

O Instituto Chamex, criado em 2007 e mantido pela Sylvamo do Brasil – conhecido como Instituto AIPI até 2021 –, já investiu mais de R$14 milhões no desenvolvimento das comunidades das quais faz parte e tem o propósito de encorajar, por meio da educação, o uso da criatividade como fonte de soluções transformadoras para o mundo e para a sociedade. Em 2021 estabeleceram uma parceria com o IDIS para o lançamento de um edital focado em apoiar projetos que estimulam a educação com cidadania.

Atuando em rede e em articulação com diversos atores, o Instituto Chamex busca ir além de modelos tradicionais, atuando na prática, por meio de 4 frentes: (i) Apoiar a solução de desafios do sistema educacional; (ii) Defender a infância como período de estímulo da criatividade; (iii) Possibilitar um novo futuro para jovens na economia criativa; e (iv) Ter na criatividade e na inovação a forma de ensinar, aprender, empreender e educar.

Com isso em mente, no início de 2021 o “Edital Educação com Cidadania” selecionou cinco instituições para receberem R$30 mil, cada uma, e colocarem em prática iniciativas transformadoras. O objetivo era que elas realizassem projetos para estimular o exercício da cidadania por meio da educação, e promover um papel mais transformador, proativo e responsável por parte de atores sociais.  

Para tirar a ideia do papel, o IDIS entrou em ação guiado pelas diretrizes do Instituto Chamex e planejou todas as etapas do Edital, envolvendo a seleção das 5 iniciativas, e cuidando do processo do início ao fim. O trabalho compreendeu a criação do regulamento e formulários de inscrição, a validação dos candidatos e análise dos projetos, o apoio à banca examinadora para seleção dos vencedores e o monitoramento da execução dos projetos.

Todos os projetos foram realizados no decorrer de 2021 e entregaram resultados ótimos. Foram mais de 42.000 pessoas beneficiadas diretamente, além de um aumento de cerca de 24% da participação ativa de cidadãos e de organizações da sociedade civil no local de implementação do projeto.

RD – RaiaDrogasil

A RD – Gente Saúde e Bem-estar, empresa líder no mercado brasileiro de drogarias, foi criada em novembro de 2011 a partir da fusão entre Raia S.A. e Drogasil S.A. A principal diretriz de seu investimento social privado é o apoio a projetos relacionados à promoção da saúde e da qualidade de vida nas regiões onde atua, promovendo um impacto positivo nas comunidades. Com esse foco, a empresa buscou o IDIS para apoiá-la em iniciativas de gestão da doação em iniciativas de combate à pandemia do coronavírus.

Fundo Emergencial para a Saúde recebe apoio do Movimento Todo Cuidado Conta

Em meio à crise sanitária instaurada no País, a RD, que está intimamente ligada à Saúde, criou o Movimento Todo Cuidado Conta. A iniciativa da empresa realizou uma doação no valor de R$ 25 milhões para o Fundo Emergencial para a Saúde (FES) – Coronavírus Brasil, iniciativa do IDIS, Movimento Bem Maior e BSocial para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Iniciado em maio de 2020, o IDIS realizou o apoio técnico à gestão da doação feita pela RD ao FES, que beneficiou hospitais filantrópicos em diversos estados brasileiros.

 

O IDIS buscou atender duas grandes demandas da empresa, a primeira voltada para a garantia de segurança do processo de doação. Já a segunda buscou garantir que a doação não fosse um apoio pontual aos hospitais beneficiados, mas que fosse capaz de deixar um legado para a sociedade atendida por eles.  O resultado deste trabalho foi o apoio a 52 hospitais que atendem ao SUS, por meio de 51 organizações da sociedade civil, em 23 Estados do país + Distrito Federal cuja área de abrangência atinge quase 72 milhões de pessoas.

 

Movimento Unidos pela Vacina

Ainda com esforços voltados para o suporte ao SUS diante da crise ocasionada pela pandemia de Covid-19, a RD uniu-se ao Movimento Unidos Pela Vacina, uma iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, presidida pela empresária Luiza Helena Trajano. O movimento reuniu centenas de empresas e entidades do terceiro setor para contribuir com a viabilização e aceleração do acesso da população à vacina contra a Covid-19. Com atuação em rede, contou com representantes em cada unidade federativa e conectou empresas madrinhas a municípios interessados em receber doações de insumos necessários para a o processo de vacinação nas Unidades Básicas de Saúde.

O IDIS apoiou a RD na gestão da doação de materiais e equipamentos de valor equivalente a R$ 5 milhões para Secretarias Municipais de Saúde para acelerar a vacinação contra a Covid-19, apoiando a implementação da estratégia de contribuição com movimento por meio da análise e priorização das doações solicitadas, na articulação junto aos municípios, na formalização dos Termos de Doação e no acompanhamento das entregas das doações.

Pan American School

Buscando promover o legado e a perenidade de sua operação após um intenso crescimento na última década, a Pan American School de Porto Alegre (RS), uma escola internacional bilingue, buscou o IDIS para realizar a estruturação de um fundo patrimonial filantrópico. A instituição atua desde 1966, possui acreditações internacionais  e tem atualmente 470 estudantes.

Durante o apoio técnico do IDIS entre 2021 e 2022, foram definidas as diretrizes estratégicas para a estruturação de um fundo patrimonial. A equipe do IDIS acompanhou a Pan American em reuniões para a construção e validação das documentações necessárias para a constituição e governança do endowment, que contará com 2 sub-fundos: um dedicado à execução de projetos e outro dedicado a investimentos de longo prazo e perenidade.

Em março de 2022, em Assembleia Geral com centenas de pais de alunos (Associados da Pan American School) presentes, foram aprovadas as mudanças estatutárias que permitiram a criação do Fundo Patrimonial, além da criação de Regimento Interno do Fundo e a instauração de um órgão de governança responsável por sua captação e gestão, o Comitê de Investimentos e Captação. Além disso, a Assembleia Geral da Pan American School de Porto Alegre aprovou o aporte inicial de até R$ 15 milhões, advindos do balanço da própria organização, que almeja aumentar esse montante com a captação de doações junto a empresas e famílias.

Instituto Solea

O empresário Reinaldo Rique e sua família (Rio de Janeiro) foram apoiados pelo IDIS na criação de um veículo filantrópico familiar. O processo foi composto por três etapas:

  • construção de planejamento estratégico e plano de ação
  • recrutamento e treinamento de equipe técnica
  • elaboração de Estatuto Social

 

No planejamento estratégico, foram definidos os focos de atuação do futuro Instituto – causa, público e geografia – e elaborada a pré-estratégia de grantmaking (doação), com critérios para a seleção e validação de projetos. Com o objetivo de trazer referências, o IDIS acompanhou o filantropo e dois conselheiros do Instituto em visitas técnicas a organizações sociais em São Paulo.

O projeto deu origem ao Instituto Solea, organização não-governamental formalizada no início de 2022 e tem como foco atuar para o fortalecimento da educação e para a redução das desigualdades sociais a nível nacional.

“Contamos com o valioso suporte do IDIS em nossos primeiros passos. O zelo e a expertise do time técnico da instituição durante o processo de criação do Instituto Solea nos deu a segurança necessária para tirar o projeto do papel”, afirma Luiz André Soares, diretor-executivo da organização.

FAZ

Depois de 2 anos de operação, oferecendo a crianças e jovens em condição de vulnerabilidade social atividades no contra turno escolar na região do Real Parque, em São Paulo, a Associação FAZ Alessandro Zarzur (FAZ) sentiu a necessidade de dar um salto em sua estrutura de captação de recursos.

De origem familiar, a FAZ foi fundada após um acidente que tirou precocemente a vida do jovem Alessandro. A resposta à dor veio em forma de ação e a criação de oportunidades de transformação social. Os primeiros recursos vieram do círculo próximo de relacionamentos. Conforme a organização foi se estruturando, vieram aportes de empresas que enxergaram o valor da organização para o público participante.

Equipe do IDIS junto de Hanan Zarzur, presidente da FAZ, na sede da organização

Em 2020, a organização atendia aproximadamente 130 crianças e jovens, mas tinha a ambição de passar a 200. Para isso, era preciso profissionalizar e expandir a mobilização de recursos, até então ainda muito focada na fundadora.

O IDIS apoiou a FAZ desenvolvendo um plano detalhado de captação de recursos, com vista a ampliar a rede de doadores individuais recorrentes e pontuais para além do ciclo familiar e de amizade, e mapear demais públicos e estratégias de captação potenciais ao contexto da organização. O projeto contemplou também a entrega de um plano de comunicação, detalhado por público, pontos de contato e indicadores de desempenho, além de suporte remoto para a implementação das recomendações

Fé e Alegria

Com olhares para o futuro, a Fundação Fé e Alegria do Brasil contratou o IDIS para facilitar o processo de planejamento estratégico para 2021-2025. O objetivo deste projeto é contribuir para uma atuação mais qualificada e sistematizada, por meio da definição do foco de suas ações, em consonância com a missão, considerando as características locais das unidades no Brasil, as diretrizes da Federação Internacional de Fé e Alegria.

Integrante da Companhia de Jesus, a Fundação Fé e Alegria está presente no Brasil desde 1981,com o compromisso de levar Promoção Social e Educação Popular a crianças, adolescentes, jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social. Atualmente, está presente em 14 estados, onde beneficia mais de 8 mil assistidos,  e acredita que, por meio da educação popular, é possível construir uma sociedade democrática, justa e solidária.

Ao longo do processo, foi realizado um diagnóstico da atuação histórica e atual da organização por meio da análise de documentos, uma série de entrevistas com atores-chave, além de aplicações de questionários, com o intuito de obter um retrato com o legado de conquistas e aprendizados, e também oportunidades de atuações futuras da Fundação.

Os resultados obtidos permitiram traçar um panorama da Fundação Fé e Alegria do Brasil, a partir das percepções de uma amostra estratégica das altas lideranças, dos gestores e das equipes técnicas de diversas áreas e localidades. A partir deste recorte, foi apresentado um plano de ação baseado em quatro eixos estratégicos – Pessoas, Processos e Qualidade, Comunicação, e Recursos e Parcerias – alinhado com o propósito e com os focos de atuação priorizados, como os públicos-alvo: crianças, adolescentes, jovens e suas famílias e o portfólio de programas, projetos e serviços divididos nas áreas de Assistência Social e Educação, pela Fundação Fé e Alegria.

“O processo de Planejamento Estratégico conduzido pelo IDIS auxiliou a Fundação Fé e Alegria do Brasil a estabelecer seu foco de atuação e a construir seu propósito, por meio do engajamento das equipes participantes. A atuação multidisciplinar das áreas de Fé e Alegria, por sua vez, foi um dos destaques para organização dos planos de ação, indicadores e metas. Este trabalho conjunto contribuiu para valorizar a missão da Fundação a serviço das causas da Educação Popular e da Promoção Social, visando à qualificação e à ampliação dos serviços ofertados”, comenta Lisângela Antonini, coordenadora de educação de Fé e Alegria.

 

Instituto Ânima

Criado em 2016, o Instituto Ânima é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que tem como missão atuar na transformação da educação em um contexto de mudanças futuras significativas. Ligado à Ânima Educação, uma das maiores organizações educacionais privadas de ensino superior no país, o instituto tem sua atuação de impacto social com foco em três frentes: formação docente, projetos sociais e pesquisa e extensão tecnológica.

Em janeiro de 2021 o Instituto Ânima solicitou ao IDIS uma consultoria para a construção de um mapeamento de indicadores financeiros de empresas que atuam com Investimento Social Privado corporativo. A demanda surgiu da necessidade de compreender e comparar fontes de receita e linhas de execução orçamentárias dos principais institutos e fundações empresariais do Brasil de tal modo compreender padrões, boas práticas e referências.

Informações de difícil acesso e nem sempre públicas, foram compiladas e parametrizadas, gerando uma fotografia de como operam essas organizações que realizam investimento social corporativo e propiciando uma linha de base que apoiará as decisões estratégicas do Instituto.

 

Laboratório de Educação

O Laboratório de Educação (LabEdu) é uma Organização da Sociedade Civil voltada para sensibilização de adultos sobre o seu importante papel no processo de aprendizagem das crianças. Fundada em 2012 pelas educadoras Beatriz Cardoso e Andrea Guida Bisognin, a organização oferece meios para promover interações significativas dentro e fora da escola a partir da tradução, integração e materialização do conhecimento científico, tornando-o aplicável em situações cotidianas. Reconhecida pela qualidade de seus estudos e pesquisas com amplo subsídio científico, os conteúdos produzidos pelo LabEdu são disponibilizados digitalmente por meio de plataformas online, via aplicativo e presencialmente via formações, e desenvolvimento e implementação de programas locais a partir de parcerias com financiadores.

No ano de 2021, com o objetivo de apoiar a estruturação da área de mobilização de recursos da organização, o IDIS atuou no processo de criação de um plano de mobilização de recursos para o LabEdu. Entre os focos da consultoria estava a ampliação dos recursos captados para o desenvolvimento institucional da organização, a diversificação das fontes de captação de recursos e a descentralização das atividades de captação das fundadoras do LabEdu, por meio da criação de uma área voltada para a captação de recursos dentro da organização. A consultoria teve a duração de 5 meses e orientou também a organização na contratação de um profissional para a nova área.

O processo foi dividido em duas etapas, contemplado o diagnóstico e a de criação de um plano de mobilização de recursos. Os resultados obtidos envolveram:

  • Definição de metas de captação institucional por diferentes frentes
  • Priorização de frentes de captação adequadas ao momento da organização
  • Mapeamento de potenciais doadores
  • Sugestão de approach e pitch de captação de recursos
  • Desenho do mapa de empatia para Major Donors
  • Definição de perfil de captador de recursos a ser contratado
  • Definição das primeiras entregas do captador de recursos a ser contratado e quick wins

 

Sobre o projeto, Andrea Guida Bisognin, diretora executiva do Laboratório de Educação, comenta: “A análise detalhada dos processos internos de gestão e captação de recursos praticados pelo Laboratório de Educação somada aos subsídios fornecidos ao longo dessa consultoria deram os elementos necessários para iniciarmos a implementação de uma área focada na ampliação e diversificação de parcerias e apoiadores institucionais.”

HSi Invesimentos

Entre agosto de 2020 e março de 2021, o IDIS realizou um projeto de consultoria para orientar e construir um Planejamento Estratégico de Filantropia Familiar para o empresário e filantropo Helio Seibel, ligado a empresas como Duratex, Leo Madeiras e Leroy Merlin. O projeto teve como objetivo principal compreender o seu histórico de investimento social, bem como seus valores, crenças pessoais, preferência de causas, dentre outros aspectos para o delineamento de uma estratégia para sua ação filantrópica por meio da HSi Investimentos.

Com uma longa e expressiva trajetória de Investimento Social Privado (ISP), Helio buscava estruturar suas contribuições para diferentes organizações e projetos à luz de uma nova diretriz estratégica, alinhada a sua visão de mundo e de impacto social para o Brasil.

O processo foi dividido em etapas, sendo a primeira a realização de um diagnóstico e a segunda a condução de workshops para reflexão estratégica sobre a Filantropia Familiar.

Como resultado houve a construção de um Mapa Estratégico de ISP que identificou:

      • Causas e sub-causas prioritárias;
      • Região de atuação;
      • Público-alvo e;
      • Perfil de risco.

Além disso, foram apresentados modelos de atuação e definidos critérios para seleção e acompanhamento das doações e orçamento anual, bem como a sugestão de alocação do mesmo.

Segundo Alex Seibel, “o trabalho do IDIS foi muito importante para ajudar a estruturar a filantropia da HS, e trazer mais profissionalismo, mais organização, e maior clareza sobre as causas que apoiaremos”.

Fundo Emergencial para a Saúde – Coronavírus Brasil

Realizado pelo IDIS, Movimento Bem Maior e BSocial, o Fundo Emergencial para a Saúde foi uma das primeiras iniciativas lançadas motivadas pela pandemia, alcançou números expressivos: captou R$ 40,4 milhões em sete meses de operação e teve 61 beneficiários, sendo 59 hospitais filantrópicos, um instituto de pesquisa e uma organização social, contribuindo para o fortalecimento do sistema público de saúde. Entre os mais de 11 mil doadores, empresas de diferentes portes e áreas de atuação, além de famílias engajadas com ações filantrópicas e a sociedade civil em geral. Os recursos arrecadados foram revertidos em equipamentos hospitalares para UTI e materiais como respiradores, testes para diagnósticos da Covid-19, máscaras, luvas, entre outros.

“Essa onda de solidariedade trouxe, definitivamente, o fortalecimento da cultura de colaboração no país e do trabalho em rede. Pois, o desafio de enfrentar uma pandemia mundial fez o cenário nacional da filantropia emergir com uma velocidade sequer imaginada”, afirma a diretora-executiva do Movimento Bem Maior, Carola Matarazzo.

Esta ação é mais um exemplo de como a colaboração entre a sociedade civil, empresas e poder público foi importante para enfrentar os efeitos da pandemia e os desafios emergenciais diante deste cenário. A forma como a pandemia se espalhou, mostrou a importância de estender os recursos para estados em situação mais vulnerável, como Pernambuco, Amazonas, Acre, Rio de Janeiro, Ceará, Minas Gerais entre outros. Em Manaus, onde a mortalidade foi elevada, quase R$1 milhão de reais foram encaminhados a dois hospitais da cidade. Santas Casas de várias partes do país também receberam recursos para enfrentar a pandemia.

A criação de fundos emergenciais foi grande durante a pandemia, e em 2021, um projeto de lei foi aprovado no Senado e agora tramita na Câmara para sua regulamentação. Considerando que serão mais comuns a partir de agora, as instituidoras optaram por fazer um relatório de prestação de contas diferente, compartilhando além de números, os aprendizados da experiência e dicas para a criação de outros fundos emergenciais. A publicação detalha desde como se deve fazer a escolha dos parceiros instituidores do fundo, a definição da estrutura jurídica, de gestão e governança, passando pelas campanhas de comunicação e mobilização de redes, pelas estratégias de captação de recursos até sua destinação.

“Participar do Fundo Emergencial foi uma oportunidade de agir no momento de necessidade do nosso país frente à pandemia. Oferecer um caminho para fazer as doações chegarem aos hospitais filantrópicos, levando recursos a linha de frente de combate ao COVID. Transparência, união, força e solidariedade foram valores que nos guiaram.”, enfatizou Maria Eugênia Duva Gullo, BSocial, cofundadora da Bsocial.

 

Resultados do Fundo Emergencial para a Saúde

  • R$ 40,4 milhões em recursos mobilizados
  • 61 instituições de 25 estados foram beneficiadas
  • 3,7 milhões de EPIs distribuídos
  • 362 mil testes para COVID-19 realizados
  • 3.621 equipamentos hospitalares adquiridos
  • Mais de 11 mil doadores, entre empresas de diferentes portes e áreas de atuação, além de famílias engajadas com ações filantrópicas e a sociedade civil em geral

Assista ao vídeo:

 

Confira o relatório do Fundo Emergencial para a Saúde e como criar um Fundo Emergencial:

Santander

Capacitação para a Estruturação de Fundos Patrimoniais Filantrópicos

Em 2021, IDIS e a área de Sustainable Solutions do Santander Private Banking uniram-se em uma iniciativa de fomento à estruturação de fundos patrimoniais (ou endowments) no Brasil. A pouca informação sobre o tema, a necessidade de ampliar o conhecimento de organizações e os ainda parcos exemplos de endowments criados nos parâmetros da Lei 13.800/19, que regulamentou esse tipo de modelo, motivaram a iniciativa: um programa de capacitação em fundos patrimoniais para organizações com interesse em criar estruturas próprias.

O conceito e suas aplicações práticas foram apresentadas em um evento online e gratuito, do qual participaram mais de 200 convidados. Os interessados em se aprofundar e receber a capacitação puderam então fazer suas inscrições.

Dentre escolas de ensino superior, fundações de apoio e outras instituições públicas ou privadas, sem fins lucrativos e de cunho social, como hospitais filantrópicos, associações privadas de assistência social, de proteção ao meio ambiente e de promoção ao desenvolvimento, foram selecionadas 21 organizações para participar do programa, que incluiu material customizado em encontros virtuais coletivos, três sessões de mentoria individual para cada uma das instituições com a equipe do IDIS, além de grupos de discussão para compartilhamento de experiências.

 

RESULTADOS

Além aumento na conscientização sobre o conceito de fundos patrimoniais entre as todas as entidades participantes, houve também desdobramentos bastante práticos:

  • 1 organização gestora de fundo patrimonial foi formalmente instituída dentro da Lei 13.800/19 (Fundação Gestora do Fundo Patrimonial da USP)
  • 1 fundo patrimonial estatuariamente constituído dentro da instituição de assistência social
  • 1 organização gestora de fundo patrimonial de educação em constituição
  • 1 fundo patrimonial para educação e tecnologia em constituição
  • 1 planejamento para criação de fundo patrimonial aprovado pelas instâncias decisórias da instituição de educação apoiada
  • 6 planos de estruturação do fundo patrimonial robustos e prontos a serem apresentados às instâncias decisórias das instituições de saúde, educação, meio ambiente apoiadas

 

Esta iniciativa reforça o comprometimento do IDIS com o fortalecimento dos Fundos Patrimoniais no Brasil. Além da produção de conhecimento, estamos à frente da Coalizão pelos Fundos Patrimoniais Filantrópicos, ação de advocacy para o avanço da regulamentação. Saiba mais em: idis.org.br/coalizao

Sobre o Santander

Em atividade no mercado local desde 1982, o Santander é o terceiro maior banco privado do Sistema Financeiro Nacional. A instituição atua com foco no banco comercial, que representa a maior parte de suas receitas, e está presente em dez mercados principais, na Europa e nas Américas. Atualmente, é o principal conglomerado financeiro na América Latina, onde tem posições de destaque no Brasil, México, Argentina e Chile. O propósito do Santander é “contribuir para que as pessoas e os negócios prosperem”. É um dos maiores bancos da zona do euro com mais de 21 milhões de clientes ativos.

A área de Sustainable Solutions, dentro do Santander Private Banking Brasil, é responsável por três grandes temas:

Fundos patrimoniais: Em parceria com os times de Universidades e Governos & Instituições, apoiam instituições de ensino, hospitais e demais organizações sociais no desenvolvimento de seus fundos patrimoniais filantrópicos de acordo com os termos da Lei 13.800/19 ou como uma boa prática;

Filantropia Familiar: Desenvolvimento do tema dentro dos núcleos familiares, gerando conhecimento, proporcionando conexões e auxiliando famílias interessadas em deixar um legado filantrópico para o Brasil e para as próximas gerações;

Abordagem ESG para todo o segmento Private, ampliando a oferta de produtos que integram fatores ambientais, sociais e de governança corporativa.

 

Pacto de Promoção da Equidade Racial

A desigualdade social e o racismo estrutural são problemas históricos no Brasil. Nas últimas décadas e, especialmente nos últimos anos, temos observado debates sobre como essas temáticas influenciam o comportamento de pessoas e de empresas. O assassinato de George Floyd nos Estados Unidos levantou manifestações por todo o Mundo mesmo durante a pandemia do coronavírus. Intitulado “Black Lives Matter” (Vidas Negras Importam), o movimento influenciou empresas, governos e sociedade civil a se posicionarem contra o racismo. No Brasil, onde 56% da população se autodeclara negra (pretos ou pardos), a temática ganhou os holofotes no mesmo período.

Para endereçar uma das principais raízes da desigualdade social no Brasil, a Parceiros da Educação, na pessoa do seu presidente Jair Ribeiro, buscou o IDIS, junto das consultorias de diversidade e inclusão Uzoma Diversidade, Educação e Cultura e Diversidade Corporativa, para a construção do Pacto de Promoção da Equidade Racial, uma iniciativa inédita para trazer a pauta racial para o centro das discussões ESG no Brasil (temas ambientais, sociais e de governança). Reunindo acadêmicos, sociedade civil, consultorias e empresas, o IDIS auxiliou o Pacto no desenvolvimento de um algoritmo para o diagnóstico de equilíbrio racial dentro das empresas (o IEER – Índice ESG de Equidade Racial), bem como nas definições estratégicas e práticas para a implementação de um novo Protocolo ESG Racial que guiará empresas e investidores interessados e comprometidos com a causa racial.

Como promotor do investimento social privado (ISP) no Brasil, o IDIS contribuiu também com o desenho das diretrizes para que as empresas possam mudar a realidade dos territórios onde atuam através do ISP em Equidade Racial, promovendo maior desenvolvimento social e equidade racial.

Veja o fluxo do Pacto:

Fluxo Projeto de Promocao da Equidade Racial

Entre as pessoas envolvidas, estão ativistas do movimento negro como Hélio Santos, Cida Bento (CEERT), Selma Moreira (Fundo Baobá), e Adriana Ferreira (Feira Preta), representantes do mercado financeiro como Gilberto Costa (JP Morgan) e Fabio Alperowitch (FAMA Investimentos), além de acadêmicos como Lucas Cavalcanti, Michael França, Sérgio Firpo e Thiago Amparo. O Pacto foi lançado em 08 de Julho de 2021, em evento com mais de 100 participantes e com o apoio do Pacto Global da ONU.

Em outubro de 2021, foi formalizada a Associação Pacto da Promoção de Equidade Racial, organização da sociedade civil responsável pela promoção do Pacto de Promoção da Equidade Racial e que fará a gestão e monitoramento de um novo Protocolo ESG Racial.

Dia da formalização da Associação Pacto pela Equidade Social em outubro de 2021.

Confira o site do Pacto de Promoção da Equidade Racial e como aderir.

Gerando Falcões

Fundada em 2011 por Edu Lyra, Lemaestro, Mayara Lyra e Amanda Boliarini, a Gerando Falcões  é um ecossistema de desenvolvimento social que atua em rede para acelerar o poder de impacto de líderes de favelas de todo país que possuem um sonho em comum: colocar a pobreza das favelas no museu. Com foco em iniciativas transformadoras, capazes de gerar resultados de longo prazo,  entrega serviços de educação, desenvolvimento econômico e cidadania em territórios de favela e executa programas de transformação sistêmica de favelas, como o Favela 3D.

Entre 2020 e 2021, o IDIS foi responsável pela Avaliação de Impacto das Oficinas de Esporte e Cultura com crianças e adolescentes e do Programa de Qualificação Profissional com jovens e adultos, realizado em São Paulo. A metodologia escolhida foi a SROI (Social Return on Investment), que além de orientar a gestão para a tomada de decisões, traz insumos para a comunicação do impacto junto à sociedade e financiadores.

Foi demonstrado que a cada R$ 1,00 investido nas iniciativas avaliadas, R$3,50 são gerados na forma de benefício para a sociedade, um resultado positivo e relevante, confirmado por testes de robustez e análises de sensibilidade. Foi também identificado que o investimento da Gerando Falcões “paga-se socialmente” (payback) já no 2º ano após o investimento.

Edu Lyra Gerando Falcoes

Ao longo do estudo – que envolve não só análise quantitativa, mas também a realização de entrevistas e grupos focais – observou-se a importância para os resultados do “jeito Gerando Falcões” de atuar, com foco no desenvolvimento de uma atitude positiva e empoderadora junto a seus atendidos.

Características da Gerando Falcões como gestão, agilidade e engajamento da equipe mostraram-se importantes para alcançar os resultados desta avaliação e para mitigar os efeitos da pandemia de Covid-19. Ou seja, os resultados refletem não só a quantidade de atividades oferecidas, mas também a qualidade e adequação aos seus públicos e territórios.

O processo avaliativo ofereceu ainda orientações e sugestões de caminhos possíveis para que a organização possa aumentar cada vez mais o seu impacto e explorar os seus potenciais, seja por meio das atividades desempenhadas pela Gerando Falcões em suas unidades seja pela possibilidade de exportar a metodologia para as organizações aceleradas pela Gerando Falcões por todo o Brasil.

Fundação Sicredi

A Fundação de Desenvolvimento Educacional e Cultural do Sistema de Crédito Cooperativo (Fundação Sicredi) é uma Organização da Sociedade Civil, responsável pelo desenvolvimento de iniciativas sociais e culturais vinculadas aos valores do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi).

O Programa A União Faz a Vida é a principal ação de educação da instituição, desenvolvida desde 1995. Por meio dele, crianças e adolescentes passam por um processo de aprendizagem de atitudes e valores de cooperação e cidadania, a partir de metodologia educacional própria, baseada no desenvolvimento de projetos.

Em 2020, apoiamos a Fundação Sicredi fazendo uma Avaliação de Impacto do Programa A União Faz a Vida, aplicando a metodologia SROI (Social Return on Investment). Para sua realização, foi estabelecido como escopo do estudo a mensuração dos impactos percebidos por alunos e professores do Ensino Fundamental I de quatro centrais onde a iniciativa acontecia há pelo menos 1 ano.
O estudo comprovou que o Programa A União Faz a Vida atinge seu propósito de transformar crianças e jovens em protagonistas de seu processo de aprendizagem e sua atuação cidadã, para que promovam impactos positivos em suas comunidades. Esses impactos excedem em 4,07 vezes o investimento realizado pela Fundação, ou seja, para cada R$ 1,00 investido no Programa, são gerados R$ 4,07 em benefícios sociais.

Conheça o vídeo que conta esta história:

 

Leia o relatório completo clicando aqui.

Instituto Fefig

Ao longo de 2019 e 2020, o IDIS apoiou o Instituto Fefig oferecendo workshops de reflexão sobre os conceitos de diretrizes estratégicas de investimento e sobre monitoramento e avaliação de projetos e programas sociais. Por meio da realização de três estudos de caso com projetos já apoiados pelos Instituto, exercitamos na prática o processo de planejar estratégias de monitoramento por meio da definição de indicadores e modelos de relatórios de prestação de contas para acompanhar a aplicação dos recursos investidos pelo Instituto Fefig nas organizações apoiadas. Em seguida, elaboramos um documento orientativo com boas práticas sobre validação de organizações e processos de monitoramento e avaliação de iniciativas de impacto social, para dar suporte à elaboração de políticas de seleção e acompanhamento das organizações que recebem financiamento do Instituto Fefig.

Conduzimos também o processo de  recrutamento, seleção e treinamento de um profissional que foi contratado pelo Instituto Fefig para assumir as atividades de avaliação dos projetos apoiados pela organização e para garantir que todos os conceitos discutidos e exercitados ao longo do projeto fossem colocados em prática na gestão do Instituto Fefig.

Fundado em 2018, o Instituto Fefig é uma organização da sociedade civil, cuja missão é promover a qualidade de vida e o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, gerando impacto e transformação social permanente. O Instituto atua por meio do processo de grantmaking, possibilitando, assim, o fortalecimento das organizações que já trabalham com causas alinhadas com a missão da organização.

 

Instituto Mamirauá

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, fundado em abril de 1999, é uma Organização Social fomentada e supervisionada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, cuja atuação se dá por meio da realização de programas de pesquisa, manejo de recursos naturais e desenvolvimento comunitário, principalmente na região do médio Solimões, estado do Amazonas, tendo como base a cidade de Tefé.

Os objetivos do Instituto Mamirauá incluem a aplicação da ação de ciência, tecnologia e inovação na adoção de estratégias e políticas públicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade da Amazônia. Também abrangem a construção e a consolidação de modelos para o desenvolvimento econômico e social de pequenas comunidades ribeirinhas por meio do desenvolvimento de tecnologias socialmente e ambientalmente adequadas.

O Instituto Mamirauá contou com apoio técnico do IDIS para diagnosticar e avaliar a viabilidade de constituição de Fundo Patrimonial Filantrópico. Para esse diagnóstico, foram realizadas entrevistas com lideranças da organização, análise dos documentos e do histórico de atuação do Instituto, além da condução de pesquisa de benchmarking com organizações de referência no Brasil e no mundo.

A partir dos resultados da etapa diagnóstica, o IDIS realizou um workshop junto à equipe do Instituto para avaliar as oportunidades e riscos institucionais e financeiros envolvidos na estruturação do Fundo Patrimonial. Nesse momento, foram analisadas as alternativas para a constituição do fundo patrimonial tendo em vista as exigências e vantagens da Lei 13.800/2019, bem como levantadas as alternativas de fontes de recursos para a sua composição e as diretrizes para futura governança.

ASA – Associação Santo Agostinho

Em 2020, o IDIS apoiou ASA – Associação Santo Agostinho em seu processo de reflexão estratégica com foco na reformulação de sua governança, aprimoramento nos processos de gestão e estruturação de seu fundo patrimonial. A consultoria contemplou (1) o diagnóstico da organização nos temas de gestão, governança e fundo patrimonial, além de realização de pesquisa benchmarking;  (2) condução de grupos de trabalho com membros da governança da ASA para a reflexão estratégica sobre os temas abordados no diagnóstico (3) a implementação das mudanças sugeridas no projeto de reflexão por meio da revisão do Estatuto Social e criação de regimentos internos.

O processo de escuta e reflexão contou com a participação de 14 membros do Conselho de Administração e Fiscal da ASA, além de sua equipe interna, totalizando 8 meses de trabalho e culminando na aprovação das diretrizes e documentos de governança em reuniões do Conselho de Administração e da Assembleia Geral.

“Para nós uma parceria como esta, que muito nos enriqueceu, deve sim ser compartilhada. Além dos ganhos, apoiamos a transparência e o profissionalismo nesta fase de transformações que a ASA abraçou com coragem e determinação.”, comenta Teli Cardoso, presidente do conselho administrativo da ASA.

A ASA – Associação Santo Agostinho é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, com atuação na cidade de São Paulo, que desde 1942 oferece atendimento a crianças, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade social, com o objetivo de oferecer oportunidades de desenvolvimento pessoal com respeito e dignidade a estes públicos.

Para desenvolver suas atividades, a ASA conta com convênios com a Prefeitura de São Paulo, projetos desenvolvidos em parceria com empresas, a comercialização de produtos diversos em seu brechó e a captação de doações junto a pessoas físicas e jurídicas.

Anglo American

O Programa Germinar é uma iniciativa da Anglo American e tem como objetivos qualificar e incentivar a sociedade civil dos municípios mineiros de Alvorada de Minas, Conceição do Mato Dentro, Dom Joaquim e Serro (regiões de influência direta e indireta do Sistema Minas-Rio, da Anglo) para elaboração de projetos sociais, gestão e captação de recursos. A qualificação tem o objetivo de promover o desenvolvimento de iniciativas sociais sustentáveis e transformadoras nessas cidades.

Em 2015, o IDIS apoiou a Anglo na fase inicial de diagnóstico local. Utilizou a metodologia ‘Desenvolvimento Comunitário baseado nos Talentos e Recursos Locais – ABCD’ (Asset-Based Community Development) para fazer o levantamento junto às organizações sociais locais. Os consultores do IDIS mapearam 84 organizações atuantes nessas localidades, que participaram de uma capacitação composta de três ciclos: elaboração de projetos sociais, gestão desses projetos e captação de recursos via leis de incentivo fiscal. Esta etapa do Programa Germinar foi realizada pelo IDIS entre os meses de janeiro a novembro de 2015 e envolveu 104 atores sociais.

Fundação André e Lúcia Maggi – FALM

A Fundação André e Lúcia Maggi (FALM) foca suas ações sociais na transformação de pessoas e comunidades para o desenvolvimento sustentável. O IDIS apoiou tecnicamente a Fundação capacitando a sua equipe. Na área de implantação de projetos o IDIS realizou o diagnóstico local dos municípios de interesse para a implantação de seus projetos, o relacionamento com a comunidade e a avaliação e monitoramento de seus projetos.

Avaliação de impacto

E em 2015 e 2016, o IDIS realizou a Avaliação SROI da Casa Maggica, iniciativa da Fundação André e Lúcia Maggi na cidade de Rondonópolis-MT. A Casa tem o objetivo de contribuir para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes de 7 a 16 anos por meio de atividades de contra turno escolar. O trabalho realizado pelo IDIS apresentou os resultados da Casa Maggica por meio da Avaliação do Retorno Social. A taxa de retorno social do investimento do Projeto Casa Maggica é
R$ 3,22, ou seja, para cada R$ 1 investido.

 

O processo contribuiu para a identificação de potenciais pontos de aprimoramento e focos prioritários, e para apoiar o planejamento estratégico e o processo de tomada de decisões da Fundação quanto aos desdobramentos, continuidade e expansão da Casa Maggica. Para a verificação das mudanças que ocorreram nos principais stakeholders do projeto e o levantamento de proxies financeiras para valoração dos impactos, a equipe do IDIS foi a campo em dois momentos e realizou grupos focais com crianças e adolescentes atendidos pela Casa Maggica, familiares e entrevistas com educadores do projeto e professores das escolas parceiras. Conheça aqui o relatório completo.

GOVERNANÇA

Em fevereiro de 2021, a Fundação André e Lucia Maggi propôs um workshop aos membros de seus Conselhos Curador e Fiscal sobre melhores práticas de governança de fundações empresariais. Realizado pelo IDIS, o intuito da capacitação era ampliar e atualizar o conhecimento dos membros, esclarecendo papéis e atribuições dos órgãos de governança .

Em formato online, devido à pandemia da COVID-19, o workshop contou com ampla participação dos conselheiros, que comemoraram os avanços já implementados na governança da FALM e discutiram pontos de melhoria na adoção de melhores práticas. Ao longo das conversas foi evidenciado que a evolução da governança é sempre um contínuo processo.

“É nítido e notório o processo evolutivo que temos percebido desde 2015 quando implantamos formações internas para o tema. Em 2021, com a atuação mais direta e suporte do IDIS, percebemos que o sentimento de pertencimento, de querer contribuir realmente para a organização se faz presente em todos os conselheiros da FALM. Isso nos enche de entusiasmo, pois estamos colhendo frutos para a perenidade da organização”, comenta Aletéa Rufino, Gerente de Investimento Social da FALM.

Depois desse primeiro workshop, a fundação verificou a necessidade de que fosse realizado um projeto de mentoria em governança para auxiliá-los na implementação das melhorias necessárias para a evolução da governança da FALM, bem como questões que surgiram no decorrer da execução do projeto.

Após participar de duas reuniões com o conselho fiscal da instituição e outras duas com o conselho curador, o IDIS pôde identificar quais os próximos passos de melhoria a curto e médio prazo.

SOBRE A Fundação André e Lucia Maggi

A Fundação André e Lucia Maggi é a instituição sem finalidade econômica responsável pela gestão do Investimento Social Privado (ISP) da AMAGGI, nos municípios onde a empresa está presente. A organização tem a missão de “contribuir para o desenvolvimento local e humano”, e a visão é de “transformar pessoas e comunidades para o desenvolvimento sustentável”. Seus programas e projetos buscam contribuir para o desenvolvimento local e territorial, engajamento das lideranças, capacitação de instituições sociais.

MAR – Museu de Arte do Rio

Em 2019 o IDIS apoiou tecnicamente o desenvolvimento da estrutura institucional do Fundo Patrimonial Filantrópico do Museu de Arte do Rio, criado com a missão de “ser fonte sustentável de recursos para promover o desenvolvimento de uma programação de excelência e garantir um acervo de qualidade para o MAR.”

O projeto de estruturação do Fundo já foi protocolado na secretaria de Cultura pelo Instituto Odeon, organização social que faz a gestão do MAR desde a sua inauguração, e está em validação pela prefeitura do Rio.

Inaugurado em março de 2013, o Museu de Arte do Rio – MAR é um marco no processo de revitalização da Praça Mauá, no centro histórico do Rio de Janeiro. Suas exposições unem dimensões históricas e contemporâneas da arte por meio de mostras de longa e curta duração, de âmbito nacional e internacional. O museu surge também com a missão de inscrever a arte no ensino público, por meio de sua Escola do Olhar.

Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais

Realizado desde 2012, o Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais oferece um espaço exclusivo para a comunidade filantrópica se reunir, trocar experiências e aprender com seus pares, fortalecendo a filantropia estratégica para a promoção do desenvolvimento da sociedade brasileira. Todos os anos, o evento reúnes participantes entre filantropos, líderes e especialistas nacionais e internacionais.

Para mapear e discutir o papel da filantropia para o desenvolvimento do Brasil, já recebemos lideranças como Jorge Gerdau Johannpeter, Lester M. Salamon, Swanee Hunt, Ana Paula Padrão, José Guimarães Monforte, Jane Wales, Gilberto Carvalho, Rob Garris, Viviane Senna, Peter Eigen, Guilherme Leal, Ana Lúcia Villela, Carlos Alberto Sardenberg, Carlos Wizard, entre outros.

O Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais é uma iniciativa conjunta do IDIS Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social e do Global Philanthropy Forum (GPF).

Saiba mais aqui: www.idis.org.br/forum

FEHOSP

O projeto teve como objetivo fortalecer as Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo em sua capacidade de mobilização comunitária, para planejar e implantar programas e projetos por meio da captação de recursos. De janeiro a outubro de 2015, o IDIS realizou 660 horas de oficinas de capacitação em 11 municípios, nas quais 427 representantes de 104 hospitais receberam treinamento no tema de captação de recursos. As oficinas tiveram como conteúdo: diagnóstico situacional, elaboração e implantação do plano de mobilização de recursos. Os consultores do IDIS fizeram ainda 300 visitas de coaching para orientar individualmente todos os hospitais participantes na elaboração dos seus projetos de captação. Entre os resultados da iniciativa estão o fortalecimento da capacidade institucional, de gestão e de captação de recursos de cada instituição participante. Em quase 75% das organizações participantes houve aumento do volume de recursos captados após a participação no projeto.

Doutores da Alegria

O Doutores da Alegria é uma organização que utiliza a arte do palhaço como ferramenta de transformação e inclusão social. Um de seus programas de destaque é o Programa de Formação de Palhaço para Jovens (PFPJ). A Avaliação do Retorno Social do Investimento (SROI) para o PFPJ foi pioneira em analisar o impacto social em um projeto cultural no Brasil. O IDIS reconhece e parabeniza o pioneirismo do Doutores da Alegria e vê o estudo como uma oportunidade de disseminar esse tipo de avaliação em outras iniciativas culturais no País.

Desde 2004, o PFPJ oferece formação artística na arte do palhaço para jovens de 17 a 23 anos em situação de vulnerabilidade e risco social, contribuindo para o desenvolvimento do seu pensamento crítico, criatividade, sensibilidade e autonomia artística. Desde sua criação, o programa já formou sete turmas, totalizando 171 jovens formados. Em 2013, o PFPJ foi certificado como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil. Além dos conhecimentos técnicos, os jovens participantes do programa exercitam seu olhar crítico para o contexto sociocultural e tornam-se cidadãos com potencial de transformar o mundo por meio da arte.

De acordo com a avaliação de impacto realizada pelo IDIS, o PFPJ traz benefícios sociais positivos (a análise constatou que a cada R$ 1 investido no programa, R$ 2,61 são gerados em benefícios sociais) e relevantes para seus participantes em todos os eixos de mudança pretendidos, confirmando a contribuição do Programa à sociedade, trazendo benefícios sociais significativos aos jovens participantes.

CEAP

O Centro Educacional Assistencial Profissionalizante – CEAP é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, que atua no modelo de escola profissionalizante gratuita, oferecendo cursos técnicos e profissionalizantes no contraturno, para jovens em situação de vulnerabilidade social entre 10 e 18 anos, que estejam matriculados no ensino regular. A organização está localizada no bairro de Pedreira, na Zona Sul da cidade de São Paulo.

Além da formação técnica-profissional, o CEAP investe na formação humana dos jovens. Sua metodologia valoriza o atendimento pessoal e personalizado aos alunos e a participação ativa da família no processo educativo.

Para avaliar e monetizar o impacto de seus cursos profissionalizantes, o CEAP contou com o IDIS para compreender o retorno social dos recursos investidos e analisar a efetividade do investimento.

O apoio técnico desenvolvido pelo IDIS avaliou o Retorno Social do Investimento realizado pelo CEAP nos cursos técnicos e constatou que a iniciativa traz benefícios sociais relevantes para seus participantes, reafirmando a contribuição do CEAP para a sociedade na formação de cidadãos éticos, capazes de melhorar suas vidas por meio do trabalho e da forma de se relacionar com as pessoas.

Conheça aqui o relatório final do projeto.

Bamboo Finance e Vox Capital

Realizado em 2015, o projeto identificou as transformações positivas e negativas que ocorreram na vida daqueles que adquiriram e se mudaram para casas do projeto Bille em Mococa e São João da Boa Vista, no interior de São Paulo. A Bille é um dos investimentos da Bamboo Finance no Brasil e da Vox Capital. A Bille utiliza um modelo de negócios para construir um padrão de casas e já vendeu, de forma acessível, mais de 1,2 mil construções. Em cada uma das duas cidades foram realizados dois grupos focais com moradores para levantar as principais transformações vivenciadas.

Posteriormente, aplicou-se questionários para mapear o perfil do morador da Bille, sua satisfação com a aquisição e outras questões relevantes que foram identificadas nos grupos focais. Os resultados do estudo serão utilizados para revisão e ajustes do projeto.

Associação Viva e Deixe Viver

A Associação Viva e Deixe Viver se dedica há mais de 20 anos em formar voluntários para contar histórias em hospitais. Em 2018, tinha como desafio planejar a sucessão de seu fundador, Valdir Cimino, e também diversificar suas fontes de recursos, reduzindo a dependência de leis de incentivo à Cultura.

O IDIS contribuiu para a reformulação da governança e atualização do estatuto social da organização, visando refletir as melhores práticas e possibilitar um processo harmonioso e paulatino de implantação do plano de sucessão. Também revisou a missão e visão junto com as lideranças da associação, ampliando os horizontes da captação de recursos junto a empresas. O projeto foi implementado em 5 fases, que incluiu diagnóstico; revisão da governança; reflexão estratégica; revisão do portfólio de projetos e programas; e a elaboração do plano de mobilização de recursos, utilizando análise SWOT e análise cruzada para definição de estratégias prioritárias.

World Giving Index

O World Giving Index (WGI) é uma pesquisa global sobre a solidariedade, que alcança 135 países em todos os continentes e pergunta se o cidadão faz trabalho voluntário, ajuda pessoas na rua ou doa para organizações da sociedade civil. O WGI é produzido pela CAF no Reino Unido e o IDIS dissemina seu conteúdo no Brasil, proporcionando as reflexões sobre o tema e ampliando o seu impacto, o que proporciona geração de conhecimento sobre as atitudes solidárias dos brasileiros.

Instituto Mosaic

O Edital da Água é uma iniciativa do Instituto Mosaic e, desde a sua concepção, busca valorizar e promover práticas de gestão de recursos hídricos nas comunidades em que a empresa atua. Isso, a partir do apoio a ações que asseguram a disponibilidade de água de qualidade às gerações presentes e futuras.

Com este objetivo, o Edital possui como premissa apoiar e fortalecer pequenas, médias e grandes organizações da sociedade civil (OSCs) e instituições de ensino superior a desenvolverem projetos nesse foco. As possibilidades de projetos para a temática, inclusive, são muitas: preservação das nascentes, recuperação e proteção de ecossistemas relacionados à água, implantação de sistema de tratamento de água e esgoto, reutilização da água, pesquisas e novas tecnologias de conservação e assim por diante.

Signatária do Pacto Global Brasil, a Mosaic Fertilizantes possui uma agenda de iniciativas de sustentabilidade alinhada com os objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) da ONU. O projeto tem relação com o ODS 6, da Agenda 2030: ‘Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos’. Por este motivo, foi reconhecido na premiação “Cases de sucesso em #ODS6 – Água e Saneamento” em 2 categorias, ao lado de 10 outras iniciativas brasileiras. O resultado foi divulgado no evento anual da plataforma ‘The CEO Water Mandate’, promovido pela Rede Brasil do Pacto Global, em dezembro de 2019.

O IDIS, é o parceiro técnico do Edital da Água desde sua criação, responsável pela gestão do processo de doação como um todo, do planejamento até a formalização da doação, assinatura do termo de parceria, gestão dos repasses e monitoramento dos projetos vencedores. As principais fases de um projeto como este incluem a criação do regulamento e formulários de inscrição, o recebimento das propostas e avaliação dos candidatos, a análise dos projetos e apoio à banca examinadora para seleção dos vencedores, conforme critérios estabelecidos na fase de planejamento, e o acompanhamento dos repasses financeiros e da execução dos projetos.

Primeira edição – 2019

Sua primeira edição, o Edital da Água visava contemplar as regiões de influência da Mosaic nos Estados da Bahia, Sergipe, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Goiás, Rio Grande do Sul, o que seguiu em todas as outras edições, nessa primeira compreendendo 24 municípios.

Foram submetidas 44 propostas, de 30 organizações proponentes, e 10 foram selecionadas por uma banca composta por representantes do Instituto Mosaic, da Mosaic Fertilizantes e por especialistas independentes no tema água por executivos das principais áreas estratégicas da empresa e que são conselheiros do Instituto Mosaic, além de especialistas do mercado e universidades no tema água e desenvolvimento sustentável. Os projetos selecionados, foram classificados entre duas categorias podendo receber R$52 mil ou R$32 mil para realização das propostas.

Os projetos abordaram de diferentes maneiras a temática proposta. Enquanto o Projeto “Água é Vida”, em Goiás, propunha um projeto de recuperação e preservação das nascentes na Comunidade Macaúba, por exemplo; outro, no Rio Grande do Sul criou um jogo mobile para conscientização de crianças sobre o uso da água.

Saiba mais sobre os vencedores desta edição aqui.

Segunda edição – 2020

Uma das metas do Instituto Mosaic é fortalecer as organizações apoiadas pelo edital para que os projetos sejam perenes e efetivos. Além disso, crescer o número de apoiados e de organizações pensando no assunto. A segunda edição do Edital da Água viu, então, isso acontecer.

Foram 90 propostas recebidas e 76% delas validadas como possíveis concorrentes a receber o apoio de R$45 mil. Após avaliação da banca especializada, 12 projetos foram escolhidos e contemplados em 6 diferentes estados do país.

Dentre as iniciativas, o desenvolvimento de um sistema de microirrigação para reduzir o consumo de água no cultivo da banana, sem prejuízo à produção, a instalação de fossas sépticas e biodigestores para maior o acesso ao saneamento e ações de recuperação e proteção de nascentes e zonas úmidas que muito contribuem para a preservação de ecossistemas.

Terceira edição – 2021

Na terceira edição, ampliou-se o número de projetos apoiados e a área de abrangência do Edital, na busca por maior impacto ambiental, transformação social e difusão de novas tecnologias.

Foram 15 projetos selecionados em 9 diferentes estados brasileiros e aportados com R$45 mil para realização das iniciativas. As instituições terão todo o ano de 2022 para realização e entrega dos projetos propostos.

Instituto Mosaic: transformando a realidade dos territórios onde atuam

Fundado em 2008 e reestruturado em 2019, o Instituto Mosaic tem como objetivo promover o desenvolvimento mútuo e sustentável nas comunidades do nosso entorno. Com isso, buscamos o combate à desigualdade social e a criação de uma rede que promova o bem-estar, a educação de qualidade, a formação de pessoas e o fortalecimento de valores essenciais, como ética, colaboração e responsabilidade. Assim, é possível nutrir uma sociedade brasileira mais digna e justa.

Petrobras

A Petrobras é uma sociedade anônima de capital aberto que atua de forma integrada e especializada na indústria de óleo, gás natural e energia. A gerência de projetos socioambientais da companhia é gestora do Programa Petrobras Socioambiental (PPS), que realiza investimentos voluntários em práticas voltadas para um ambiente ecologicamente equilibrado e socialmente equitativo. O programa é uma das formas de concretizar a visão e valores da companhia constantes em seu plano estratégico e no princípio e diretrizes da sua política de responsabilidade social.

Buscando identificar elementos que permitam maximizar os impactos sociais e ambientais positivos, alinhar ainda mais a carteira de projetos do PPS com o posicionamento estratégico da companhia e comunicar os resultados de forma mais eficaz para toda a companhia, a Petrobras procurou o IDIS para auxiliar na definição, a partir do contexto da sua carteira de projetos, de um método para avaliar os projetos do Programa Petrobras Socioambiental.

Para atender à demanda, o IDIS realizou a análise de diferentes metodologias de avaliação de impacto socioambiental, e apresentou ao cliente para que pudessem ter um panorama das possibilidades e limitações de cada uma. Levando em conta as características da carteira de projetos do programa, a disponibilidade de informações e a exequibilidade dos diferentes métodos apresentados, optou-se pela realização da Análise Custo Benefício com incorporação de técnicas do protocolo SROI (Social Return of Investment – Retorno Social do Investimento), que envolve a monetização dos impactos para cálculo do retorno para a sociedade e o meio ambiente.

Para demonstrar a aplicabilidade da Análise Custo Benefício no formato proposto, foi realizada a aplicação do método à um projeto piloto do Programa Petrobras Socioambiental, o Projeto Uçá, visando demonstrar ao cliente como trabalhar com a metodologia na prática, e a partir da experiência tecer recomendações para aplicação da mesma à toda a carteira de projetos do PPS.

As conclusões do projeto demonstraram um retorno socioambiental de R$4,55 para cada R$1,00 investido no Projeto Uçá, e possibilitaram à companhia iniciar o processo de implementação da Análise Custo Benefício para a sua carteira, além de disseminar a cultura avaliativa na instituição.

Até 2022 a Petrobras contratou o IDIS para realizar seis avaliações Custo Benefício e 6 avaliações SROI. Até o momento foram concluídos quatro estudos de Análise Custo benefício dos projetos Uça, Baleia Jubarte, Mão na Massa e Florestas de Valor:

“Trabalhar com o IDIS foi uma ótima experiência e um grande aprendizado. As pessoas do IDIS são de alto nível profissional e demonstram essa característica a todo momento. Isso, entretanto, não significa que sejam pessoas arrogantes ou que se considerem sempre as donas da verdade. Ao contrário: o trabalho é desenvolvido em parceria e as informações fluem com facilidade durante todo o projeto. Particularmente, senti-me sempre muito à vontade para questionar e trocar informações com toda a equipe. O trabalho final ficou como desejávamos e a apresentação foi também muito esclarecedora. Parabenizo toda a equipe e desejo-lhes sucesso permanente” , comenta Roberto Emery, da Petrobras.

Fundação José Luiz Egydio Setúbal

A Viagem Fantástica é uma ação social voluntária e solidária realizada pela equipe da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, incluindo também membros das equipes do Hospital Infantil Sabará e do Instituto Pensi.

A primeira Viagem Fantástica foi realizada em agosto de 2017, quando os voluntários contribuíram para a revitalização de duas praças públicas no Jardim Lapenna, em São Miguel Paulista. O sucesso foi tamanho que foi realizada uma nova Viagem Fantástica em 2018, com muito mais voluntários inscritos. Dessa vez, os trabalhos foram realizados em Santana de Parnaíba, e consistiram na adaptação de doze residências para a mobilidade de pessoas portadoras de deficiência.

Em 2019, o IDIS apoiou a Fundação José Luiz Egydio Setúbal na elaboração de um estudo de avaliação e mensuração do impacto social gerado pela Viagem Fantástica. O projeto foi composto por três fases. Na primeira delas, foi elaborada a Teoria de Mudança do projeto, que tem como objetivo “Despertar a consciência sobre o potencial transformador das ações coletivas e o entusiasmo das pessoas em provocar mudanças positivas em si mesmas, nas relações e no mundo”.

Na segunda fase, o foco foi a condução de uma pesquisa qualitativa, com a realização de grupos focais tanto com os voluntários das ações, quanto com as comunidades que foram foco das intervenções. Já na terceira fase, aplicou-se um questionário quantitativo com o objetivo de mensurar as variáveis que trazem evidências sobre o impacto social do projeto.

Por meio do estudo de avaliação de impacto social, o IDIS comprovou que os participantes da Viagem Fantástica percebem e expandem seu potencial individual e coletivo de gerar impactos positivos na sociedade. Além disso, aumentam sua consciência social e reforçam seu compromisso com o bem-estar de todos. As ações nas comunidades contribuíram para a criação de espaços mais seguros e que proporcionam lazer e sociabilização, ao mesmo tempo que sensibilizam os moradores para unirem-se ao grupo de voluntários das próximas edições. Como consequência de todos esses impactos positivos, o Programa reforça os valores institucionais da Fundação José Luiz Egydio Setúbal entre seus colaboradores, que reconhecem o interesse genuíno da Fundação de contribuir para a sociedade.

Sesc

O Sesc – Serviço Social do Comércio é uma entidade de serviços sociais autônomos de natureza privada, fundada em 1946, cujo objetivo é proporcionar o bem-estar e qualidade de vida aos trabalhadores do setor do comércio e suas famílias.

A estrutura organizacional do Sesc compreende o Departamento Nacional (DN), situado no Rio de Janeiro, e 27 Departamentos Regionais – um em cada estado e no Distrito Federal. Cabe ao Departamento Nacional elaborar as diretrizes gerais da entidade, coordenar e monitorar os projetos que são desenvolvidos nas unidades regionais do Sesc.

O Departamento Nacional do Sesc solicitou o apoio técnico do IDIS para explorar o protocolo de avaliação de impacto SROI – Retorno Social do Investimento como uma potencial ferramenta a ser implementada na organização para gerar evidências sobre a efetividade de seus programas. A proposta de trabalho acordada foi a execução de estudos de avaliação de impacto por meio do SROI para cinco diferentes projetos do Sesc Poconé – uma das unidades que compõem o complexo do Sesc Pantanal. Os estudos avaliativos apontaram os impactos sociais percebidos pelos participantes dos projetos, bem como oportunidade de ampliar e otimizar as transformações positivas na comunidade.

Além da execução das pesquisas de mensuração de impacto, o IDIS também conduziu um processo de treinamento na aplicação do protocolo SROI para um grupo de 25 colaboradores entre gestores e analistas de diversas áreas do Departamento Nacional do SESC, com o objetivo de disseminar os conceitos e práticas avaliativas na organização.

CTG Brasil – China Three Gorges Corporation

Criada em 2013, a CTG Brasil é uma empresa da China Three Gorges Corporation, uma das líderes globais em energia limpa. Com investimentos em 17 usinas hidrelétricas e 11 parques eólicos, o portfólio da CTG Brasil hoje tem uma capacidade total instalada de 8,28 GW. Segunda maior geradora privada de energia do país, a CTG Brasil conta com a dedicação de seus talentos locais e está comprometida em contribuir com a matriz energética brasileira, pautada pela responsabilidade social e respeito ao meio ambiente.

Visando fortalecer seu Investimento Social Privado, em 2019 a CTG Brasil contratou o apoio do IDIS para a definição das diretrizes estratégicas de sua atuação, fundamental para o aprimoramento do investimento feito na comunidade e na eficiência da seleção de projetos, monitoramento dos resultados e avaliação do impacto.

Nesse processo, foram levados em consideração os objetivos estratégicos da empresa e as percepções e expectativas de seus principais stakeholders. A construção das diretrizes, a partir de processos participativos, teve como base o alinhamento com o negócio e a contribuição do Investimento Social Privado Corporativo para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ODSs da ONU).

O entorno das unidades da CTG Brasil foi definido como foco primário de atuação, que passa a ter como propósito: “Promover o desenvolvimento local nas comunidades em que estamos presentes, fomentando a geração de renda por meio do emprego e do empreendedorismo.”

Unicamp – Universidade Estadual de Campinas

A Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, autarquia criada pelo Governo de São Paulo em 1962, dedica-se ao ensino e à pesquisa. Possui três campi, 24 unidades e vasto complexo de saúde, contando com aproximadamente 34 mil alunos.

Em 2019, com o intuito de constituir fonte de recursos de longo prazo para financiar suas iniciativas em ensino, pesquisa, extensão, inovação, empreendedorismo, cultura e assistência, contou com o apoio técnico do IDIS para estruturar seu de fundo patrimonial filantrópico.

O projeto compreendeu a definição de diretrizes estratégicas e a elaboração de políticas de gestão e de operação para o fundo patrimonial, bem como a criação de plano de estruturação para a organização gestora, nos termos da Lei 13.800/19.

 

(Foto: Arthur Castro)

Consulado Geral dos EUA em São Paulo

A atuação das organizações da sociedade civil é fundamental no Brasil. Apesar da grande competência e conhecimento das causas e localidades nas quais atuam, o segmento tem desafios relacionados à estrutura e gestão, que interferem em sua capacidade de gerar impactos de longo prazo e no acesso a recursos. Foi a partir dessa necessidade que a Charities Aid Foundation (CAF), o IDIS e o Consulado Geral dos EUA em São Paulo se reuniram para criar o Programa de Fortalecimento de Organizações da Sociedade Civil. Por meio de capacitação presencial e uma série de capacitações on-line, o programa, implementado em junho de 2018, teve como objetivo desenvolver três competências em organizações sem fins lucrativos de pequeno a médio porte com atuação na região metropolitana de São Paulo: (1) Planejamento estratégico; (2) Captação de recursos (tanto no Brasil quanto nos EUA para o Brasil); e (3) Formação e participação em parcerias intersetoriais.

Um ano após a conclusão do programa, dezoito dos vinte participantes se disponibilizaram a responder a uma pesquisa para identificar como as organizações evoluíram em relação aos itens abordados ao longo do curso. Entre os entrevistados, quando questionados sobre planejamento estratégico, 72% indicaram que o tema se tornou mais relevante em suas organizações. O mesmo percentual indicou que no último ano houve uma revisão no portfólio de programas e projetos realizados por meio de metodologias formais de análise. Em relação a parcerias, apenas uma organização disse não ter feito contatos no último ano. A percepção sobre captação de recursos foi também positiva – 13 organizações disseram que o volume de recursos de terceiros aumentou no último ano, proveniente, principalmente, de investidores locais. O acesso a recursos estrangeiros mostrou-se o maior desafio, com 56% dos respondentes indicando não ter feito nenhum contato com investidores de fora do Brasil.

Hospital A.C. Camargo

O A.C. Camargo Cancer Center, instituição privada sem fins lucrativos, atua no combate ao câncer desde 1953. Presta assistência integrada de alta complexidade, humanizada e segura em todas as etapas do tratamento. Líder em conhecimento científico sobre oncologia, é um centro de referência internacional em ensino, pesquisa e tratamento multidisciplinar.

Em 2018, contou com o apoio técnico do IDIS para a definição de diretrizes gerais para a constituição de fundo financeiro destinado exclusivamente ao fomento de suas atividades de ensino e pesquisa, cujo objetivo é a redução de sua dependência dos recursos provenientes das atividades de assistência realizadas pelo A.C. Camargo Cancer Center.

No ano seguinte, o A.C. Camargo Cancer Center renovou a parceria com o IDIS, que apoiou o fortalecimento do modelo de governança, da gestão financeira e das diretrizes de investimento, de modo a garantir a perenidade do Fundo Exclusivo de Fomento ao Ensino e à Pesquisa.

Fundação Stickel

Realizado em 2015, o projeto teve o objetivo de capacitar os membros do Conselho da Fundação Stickel sobre cenário do investimento social privado e governança de organizações sem fins lucrativos. O IDIS customizou o conteúdo do treinamento para a necessidade da organização. Além da parte teórica, foi realizada uma atividade prática: a simulação de uma reunião do Conselho abordando e incorporando os novos aprendizados.

Victoire Brasil Investimentos

Realizado em 2015, o projeto Educação Financeira para Jovens teve como objetivo promover uma alfabetização financeira que auxilie na formação de cidadãos conscientes, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida e a inclusão econômica e social através de práticas de uso responsável do dinheiro e hábitos financeiros saudáveis.

O projeto foi dividido em três módulo: curso de formação, construção de planejamento financeiro e plano de vida, e mentoria. No total, a iniciativa envolveu 20 jovens aprendizes moradores do bairro Parque Imperial, em Barueri-SP, e que participam do Programa de Aprendizagem da organização CEPAC. A formação teve duração de quatro semanas, entre outubro e novembro de 2015, e abordou os temas ‘Fazer bem as escolhas’, ‘Endividamento’ e ‘Desejos, sonhos e ambições’. Concomitantemente, os jovens desenvolveram, cada um, seu planejamento financeiro e plano de vida com o apoio voluntário dos profissionais da Victoire, através de mentoria. No final das atividades do projeto os jovens fizeram uma visita à Bovespa e ao escritório da Victoire.

Transparência Internacional Brasil

Em linha com seu compromisso com os mais elevados padrões de governança, a Transparência Internacional Brasil, membro do movimento global Transparency International, contou com o apoio do IDIS para a realização de um diagnóstico de sua governança. O resultado do trabalho levou a sugestões de melhores práticas capazes de fortalecer ainda mais a atuação da organização no país.

Rockefeller

O IDIS estabeleceu uma parceria com a Fundação Rockefeller para a geração de conhecimento inspiradoras ao investimento social privado brasileiro. A parceria possibilitou a tradução ao português de textos da Bellagio Inatitive, que discutiu o futuro da filantropia, e de demais conteúdo relevante para o investimento social privado brasileiro. A parceria com a Fundação Rockefeller também proporcionou o surgimento do redIS, a Rede do Investidor Social, uma plataforma para troca de conhecimento de filantropos.

The Freedom Fund

O IDIS, em parceria com o Freedom Fund, desenvolveu um estudo da viabilidade da implantação de uma intervenção seguindo o modelo ‘hotspot’, visando o combate à exploração sexual de crianças e adolescentes. Esse estudo incluiu uma vasta pesquisa bibliográfica sobre o tema, desk research de dados secundários e entrevistas com especialistas. Em uma segunda fase, foram visitadas três regiões no Brasil que apresentam elevada incidência de exploração sexual de crianças e adolescentes, buscando o mapeamento de organizações locais que possuem atuação focada nessa temática ou outros esforços voltados a combater esse tipo de violência.

O projeto trouxe conhecimentos e dados relevantes para o entendimento do cenário brasileiro da exploração sexual de crianças e adolescentes, as ações de combate já em andamento de iniciativa das organizações da sociedade civil e do poder público, produzindo recomendações e oportunidades para a implantação da intervenção, valorizando o papel dos atores sociais envolvidos e do poder público local, potencializando a possibilidade de sucesso na implantação do modelo ‘hotspot’.

Programa Primeira Infância Ribeirinha

A partir de uma experiência piloto inovadora realizada no Estado do Amazonas, em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS), e tendo como foco crianças até três anos residindo à beira dos rios da floresta tropical, o IDIS desenvolveu uma política pública para ser implementada pelo Governo do Estado. O projeto, denominado Programa Infância Ribeirinha, contou com apoio da Fundação Bernard van Leer, e incluiu articulações com as administrações da cidade de Manaus e do Estado do Amazonas.

 

Conheça aqui as publicações sobre esse projeto: